Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Reconstrução Nacional

28 Agosto de 2012 | 20h15 - Actualizado em 28 Agosto de 2012 | 20h12

Parque Nacional do Iona em vias de revitalização

Namibe

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda – O Parque Nacional do Iona, localizado no município do Tômbwa, que dista a 95 quilómetros a sudoeste da cidade do Namibe, está em vias de revitalização com base numa programa coordenado pelo Ministério do Ambiente, reafirmou recentemente o administrador daquela urbe, João Freitas.

Em declarações a um grupo de jornalistas, no Tômbwa, o responsável explicou que o programa prevê o repovoamento animal, a melhoria da fiscalização no interior do parque, com fiscais devidamente treinados e equipados, para que possam fazer uma fiscalização séria.

Na sua óptica, esse passo vai ser muito importante para o desenvolvimento do turismo na região, adiantando que dentro do próprio parque também haverá inovações, nomeadamente no acampamento da espinheira onde já existe água potável e que estão a ser construídas residências para os fiscais.

“Falta colocar as mobílias, os grupos geradores e alguns meios de locomoção para que os fiscais possam estar lá fixados”, disse.

O administrador municipal é de opinião de que, com esse passo, o turismo vai crescer, frisando, no entanto, que turistas sul-africanos, namibianos, portugueses e alguns angolanos já vão fazendo uso do parque.

Actualmente existem no parque do Iona orix, gazelas, zebras, olongos e vai se repor alguns animais que existiam em abundância, à semelhança do que aconteceu no parque da Kissama, assegurou.

Apelou aos caçadores furtivos a abdicarem dessa prática e a deixarem os animais crescerem de forma sã, para que as gerações vindouras possam conhecer a nossa fauna.

“Devemos seguir o exemplo dos outros países e conservar os animais, fazendo dos nossos parques nacionais fontes de rendimento para o Estado e potenciais promotores do turismo”, enfatizou.