Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Reconstrução Nacional

17 Maio de 2017 | 14h50 - Actualizado em 17 Maio de 2017 | 14h50

Benguela: Governador anuncia construção de edifícios administrativos

Benguela - O governador provincial de Benguela, Isaac Maria dos Anjos, garantiu hoje (quarta-feira), nesta cidade, a construção nos próximos tempos de novos edifícios administrativos para o município-sede.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Governador provincial de Benguela, Isaac dos Anjos

Foto: Rosário Miranda

Isaac dos Anjos, que falava durante a solenidade dos 400 anos de fundação do município de Benguela, que hoje se assinala, disse que estes edifícios serão erguidos para melhorar os serviços administrativos.

Isaac dos Anjos enumerou, por outro lado, como desafios para o município-sede, a melhoria da recolha dos resíduos sólidos do centro urbano e na periferia, bem como da imagem dos edifícios e requalificação das estradas.

Para o governante, a conclusão da reabilitação do Museu Nacional de Arqueologia, do Instituto Politécnico de Educação Física e a Pousada da Juventude e a Escola Internacional de Hotelaria e Turismo são outras prioridades da sua gestão. 

Segundo ele, ainda para este ano está prevista a construção do mercado do peixe nas tombas, localizado na zona B, periferia da cidade de Benguela. 

A cerimónia dos 400 anos da cidade de Ombaka, que contou com a presença de deputados a assembleia nacional, entidades do governo e religiosos, autoridades tradicionais e convidados.

A 17 de Maio de 1617, Manuel Cerveira Pereira, governador de Angola entre 1615 e 1617, fundou a Baía de Santo António. Essa data passou a ser considerada como a data de fundação da cidade de São Filipe de Benguela.

Em 1641 a cidade foi tomada pelos holandeses e a população teve de se refugiar no interior, a cerca de 200 quilómetros do litoral. Sete anos depois, em 1648, Benguela foi libertada e desde então passou a ser porta de passagem para o interior e a região desenvolveu-se muito.

Em 1705, uma esquadra francesa destruiu a cidade quase completamente, mas entre 1710 e 1755 os benguelenses reconstruíram-na, as construções eram rudimentares, sendo a Igreja de Nossa Senhora do Pópulo, a primeira construção de pedra e cal. 

O município de Benguela tem como limites geográficos, a norte o município da Catumbela, a sul da Baía Farta e Caimbambo, sudeste Bocoio e oeste o oceano atlântico, com 76 bairros e cinco povoações, seis zonas administrativas e tem dentre outros.

Com uma população estimada em 513.441 habitantes que se dedicam maioritariamente a agricultura e a pesca, tem como pontos de referência e turístico, a praia morena, o largo da Peça, o Museu de Arqueologia e as igrejas do Pópulo e da Sé Catedral.

Leia também