Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

16 Julho de 2012 | 14h29 - Actualizado em 16 Julho de 2012 | 15h43

Um milhão de angolanos expostos à oncocercose

Saúde

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Director do Programa Nacional das Doenças Negligenciadas, Pedro Van-Dúnem

Foto: Angop

Luanda - Um milhão de angolanos residentes em zonas endémicas estão expostos ao risco de contrair a doença oncocercose (cegueira dos rios), no país, afirmou hoje, em Luanda, o director do Programa Nacional das Doenças Negligenciadas, Pedro Van-Dúnem.

Em declarações à Angop sobre a situação da Oncocercose no país, Pedro Van-Dúnem referiu que foram identificadas nove províncias endémicas, nomeadamente Huíla, Bengo, Moxico, Kwanza Norte, Benguela, Kuando Kubango, Lunda Norte e Lunda Sul.

Segundo o responsável, os casos da doença não se estima individualmente, logo a abordagem é feita segundo à população exposta ao risco, na área aonde se encontra a doença.

Explicou que os principais cuidados a ter com a doença passa pela divulgação de informações sobre a sua existência, uma vez identificada.

O responsável adiantou que para o combate a oncocercose são realizados programas que assentam, principalmente, no tratamento em massa das populações destas comunidades, com a distribuição do medicamento Mektizan, que é tomado uma vez ao ano, durante 5 anos.

Este trabalho, disse, é feito com o apoio do programa africano de luta contra oncocercose, em parceria com o Ministério da Saúde, instituição que doa o medicamento distribuído nas zonas de maior perigosidade.

A oncocercose, conhecida também como “cegueira dos rios” ou “mal do garimpeiro”, é uma doença provocada pelo parasita nematódeo Onchocerca volvulus, que acomete exclusivamente os humanos.

A sua transmissão é feita pelo mosquito Simulium spp., popularmente conhecidos como piúm (região norte) ou borrachudo (demais regiões).

Quando este insecto pica um hospedeiro infectado acaba sugando microfilárias junto com o sangue, habitando nas áreas onde não há abastecimento de água.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 99% dos casos de oncocercose (17 milhões ao total) registados no mundo ocorrem na África. Esta doença foi observada pela primeira vez no Gana, no ano de 1875.

Assuntos Província » Luanda  

Leia também
  • 01/02/2019 15:36:21

    Governador quer mais médicos na periferia

    Luanda - O governador da província de Luanda, Sérgio Luther Rescova, recomendou, nesta sexta-feira, o reforço do número de médicos no centro de saúde km12A, município de Viana, com vista a dar melhor resposta às solicitações dos utentes.

  • 23/01/2019 13:17:43

    INEMA Luanda deve servir cidadãos - Sílvia Lutucuta

    Luanda - O serviço do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEMA) de Luanda deve servir, efectivamente, os interesses dos cidadãos, na perspectiva de aproximar a assistência médica junto das populações, afirmou, nesta quarta-feira, em Luanda, a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta.

  • 28/12/2018 13:33:46

    Sala de nutrição do Sambizanga beneficia de bens alimentares da China

    Luanda - A Embaixada da República Popular da China, em Angola, doou hoje, sexta-feira, vários bens, entre os quais, uma geleira, arroz, feijão, óleo vegetal e detergentes, à sala de recuperação nutricional do Centro de Saúde do Sambizanga.

  • 20/12/2018 12:27:43

    Técnicos de estatística dos hospitais de Luanda em seminário

    Icolo e Bengo - Cem técnicos de estatística, de todas unidades hospitalares da província de Luanda, encontram-se em seminário de capacitação, no município de Icolo e Bengo, para melhorar os métodos de recolha de dados e evitar os erros que comprometam os indicadores de saúde.