Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

13 Janeiro de 2014 | 11h21 - Actualizado em 13 Janeiro de 2014 | 11h13

Kwanza Sul: Administração do Ebo quer melhorar acesso aos serviços de saúde

Sumbe - A administração municipal do Ebo, província do Kwanza Sul, traçou como prioridades para ano em curso (2014) trabalhar na melhoria das condições de vida da população, com destaque ao acesso aos cuidados primários de saúde e ao programa “Água para todos”.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Essa informação foi prestada, à Angop, pelo administrador do Ebo, Rui Feliciano Miguel, tendo realçado que a aposta visa levar os serviços de saúde ao encontro da população, fundamentalmente, nas localidades mais recônditas do município.

O projecto da administração municipal do Ebo, prevê, também, o reforço da equipa médica e de técnicos de enfermagem bem como a aquisição de ambulância para o transporte dos pacientes, trabalho que até ao momento, é feito por motorizadas.

O município do Ebo, com sede na vila do mesmo nome, tem uma extensão de 2.520 quilómetros quadrados. Com uma população estimada em 182.707 habitantes, está dividido em três comunas e uma povoação nomeadamente a sede (Ebo), Condé, Quissange e a povoação da Chôa.

Possui um hospital com 52 camas na comuna sede, quatro postos de saúde e um centro de saúde. Na comuna do Condé existem nove camas para dois postos de saúde e um centro de saúde enquanto no Quissanje encontram-se dois postos de saúde com quatro camas.

Na localidade existe um médico para 91.354 habitantes e 36 técnicos de saúde na comuna sede, seis técnicos no Condé e cinco no Quissanje.

A malária, doenças respiratórias, infecções das vias respiratórias agudas, doenças diarreicas agudas, anemia, infecções das vias respiratórias e das vias urinárias são apontadas como as enfermidades mais frequentes.

Leia também