Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

06 Outubro de 2017 | 13h02 - Actualizado em 06 Outubro de 2017 | 13h02

Angola: Depressão causa suspensão de 10 porcento da população laboral

Luanda - A nível mundial estima-se que 10 porcento da população empregada tenha suspendido a sua actividade laboral devido a depressão.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Directora Regional da OMS para a África, Matshidiso Moeti

Foto: Francisco Miudo

Esta informação está contida na mensagem da Directora Regional da OMS para a África, Matshidiso Moeti, por ocasião do Dia Mundial da Saúde Mental, que se assinala a 10 de Outubro com o lema “Saúde mental no local de trabalho”.

De acordo com a responsável, perde-se  uma média de 36 dias de trabalho, sempre que um trabalhador é afectado por essa enfermidade.

Refere que sintomas como a dificuldade em concentrar-se ou em tomar decisões levam a uma acentuada quebra da produtividade no trabalho.

Matshidiso Moeti  frisa que pelo menos, 50 porcento das pessoas com depressão não são sujeitas a tratamento.

A mensagem dá conta que em África, a ausência de informação, o estigma e as questões culturais são barreiras significativas que impedem as pessoas de procurar ajuda.

Embora em muitos países existam leis sobre a igualdade de oportunidades no trabalho para as pessoas portadoras de deficiência, a doença mental encontra-se associada aos mais desfavorecidos em termos de taxas de emprego.

A aceitação social das pessoas com doença mental não melhorou muito nos últimos 20 anos.  

A saúde mental tem um impacto muito importante no desenvolvimento económico e no bem-estar das pessoas.

A perda de produtividade decorrente do absentismo associado aos problemas de saúde mental é considerável e parece estar a aumentar.

Na opinião da responsável, o stress relacionado com o trabalho custa anualmente milhares de milhões de dólares à comunidade internacional, em custos directos e indirectos.

Existem fortes razões económicas para enfrentar não só o estigma por parte do empregador, mas também para investir em programas de promoção, prevenção e tratamento no âmbito da saúde mental, no local de trabalho.

Tratar a ansiedade, depressão e outras perturbações mentais é uma forma economicamente acessível e rentável de promoção do bem-estar e prosperidade.  Melhoram até 80 porcento dos casos tratados, geralmente no espaço de quatro a seis semanas.

Matshidiso Moeti realça que a depressão pode ser evitada e tratada, se for rapidamente diagnosticada.

Muitos empregadores estão a desenvolver políticas de apoio à saúde dos seus trabalhadores, mas esta não é uma perspectiva comum.

O Dia Mundial da Saúde Mental é uma oportunidade para encetar conversações sobre a saúde mental no local de trabalho, de forma a promover melhores práticas, reduzir comportamentos negativos e capacitar os indivíduos.

Dado que a maior parte da população activa passa mais de 60 pocento do seu dia no trabalho, a saúde mental no trabalho está no centro das interacções sociais quotidianas.

As causas e as consequências do stress relacionado com o trabalho são mais facilmente tratadas através de uma combinação de medidas, quer colectivas, quer individuais, centradas na prevenção.

Os locais de trabalho favoráveis à saúde mental detêm programas e práticas que promovem o bem-estar do trabalhador e o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, tratam os distúrbios mentais com a mesma urgência que os problemas de saúde físicos e proporcionam aos gestores formação em questões de saúde mental no local trabalho.

Para a responsável da OMS África, os empregadores podem tornar-se agentes de mudança, alterando os factores de risco de stress no local de trabalho, criando um clima organizacional que promova o bem-estar e a criatividade e disponibilizando cuidados para os que deles precisem.

Por outro lado, os empregados podem adoptar medidas para aprenderem a reconhecer os sinais e sintomas de um problema de saúde mental e envolver-se na sua prevenção, inclusive, falando sobre o assunto.

A saúde mental é uma das prioridades da OMS e neste contexto incentiva os países a promovê-la no local de trabalho e a construir coligações amplas que estimulem as melhores práticas, diminuam os comportamentos negativos e capacitem os indivíduos, com vista à promoção de uma boa saúde mental para todos.

A dignidade em saúde mental requer que todos os membros da sociedade trabalhem em conjunto.

Assuntos Saúde  

Leia também