Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

05 Outubro de 2017 | 19h50 - Actualizado em 05 Outubro de 2017 | 19h49

Angola: Ministra reafirma maior humanização nos serviços de Saúde

Luanda- A ministra da Saúde, Sílvia Paulo Lutucuta, reafirmou hoje, quinta-feira, a necessidade de um maior tratamento humanizado aos pacientes que acorrem às unidades sanitárias.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministra da Saúde, Sílvia Paula Lutucuta

Foto: Pedro Parente/Arquivo

A governante reafirmou o facto no encerramento do Encontro Nacional de Avaliação e Planificação da Campanha Integrada de Vacinação contra o Sarampo, Rubéola e Pólio e Formação das equipas municipais sobre a introdução da Vacina da Poliomielite, Comunicação e Mobilização Social, decorrido numa das unidades hoteleiras em Luanda.

A ministra da Saúde salientou igualmente a necessidade da transmissão de uma informação adequada com técnica e educação, para que possa responder as dúvidas e incertezas das mães que procuram os serviços hospitalares.

“ Não é possível que algumas mães saiam da sala de vacinação sem saber o que foi administrado à criança ou sem conhecer que efeitos adversos pode apresentar e quando deve voltar para a próxima dose”, frisou.

Destacou ainda que a educação para a saúde é um direito de todos os cidadãos e uma tarefa nobre de cada profissional de saúde ou do Agente Comunitário de Saúde.

Por outro lado, a ministra Sílvia Paulo Lutucuta considera que a humanização constitui um meio de baixo custo e altamente eficaz para a prevenção de doenças, mas para isso deve-se atíngir altas coberturas de vacinação, uniformemente distribuídas e mantidas na pessoa, no tempo e no espaço.

Reconheceu que os progressos alcançados no âmbito da redução da incidência das doenças imunopreveníveis, particularmente a eliminação da transmissão da Pólio e o controlo com êxito da epidemia de febre-amarela, que teve o registo de 4618 casos suspeitos e com a confirmação de 884 casos, deveu-se ao aumento das coberturas de vacinação e da qualidade das campanhas de vacinação.

Por sua vez, o representante da Organização Mundial da Saúde em Angola, Hernando Agudelo, informou continuarem a prestar o apoio técnico, financeiro e material aos programas da Saúde em Angola.

Assuntos Saúde  

Leia também