Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

12 Outubro de 2017 | 15h19 - Actualizado em 12 Outubro de 2017 | 15h19

Moxico: Hospital Geral sem fármacos há meses - Directora

Luena - A directora clínica do Hospital Geral do Moxico (HGM), Jorgina Esperança Muhungo, fez saber hoje (quinta-feira), no Luena, existir uma ruptura de medicamentos essenciais na principal unidade sanitária da província "há já alguns meses".

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Moxico: Hospital Geral sem fármacos há meses

Foto: David Dias

Moxico: Georgina Esperança Muhunga - Directora Clínica do Hospital Geral do Moxico (HGM)

Foto: David Dias

Ao falar à Angop, a fonte afirmou que a situação tem obrigado os médicos a passarem, apenas, as receitas aos pacientes, para adquirirem medicamentos em farmácias comercias, com preços exorbitantes.

Quantos aos pacientes com pouco poder económico, indicou que, “nestes casos, tem sido mais complicado, mas tentamos ajudar no possível”, salientou.

Jorgina Muhungo considerou que a estabilização do stock de fármacos do hospital está irregular, há já alguns meses, por causa dos fornecedores não corresponderem com as encomendas, tendo apelado a população 'para solidarizarem-se com a situação, doando sangue e medicamentos, juntando-se ao esforço do governo.

Assuntos Província » Moxico   Saúde  

Leia também
  • 12/10/2017 15:18:21

    Moxico: Diagnosticados novos casos de lepra em Camanongue

    Camanongue - As autoridades sanitárias do município de Camanongue (Moxico) registaram, nos últimos nove meses, quatro novos casos de lepra, contra dois em igual período de 2016, revelou hoje (quinta-feira) o seu supervisor Zacarias Moisés.

  • 12/10/2017 13:51:50

    Angola: Em busca da saúde ocular

    Luanda - Desde muito cedo, as vistas do então estudante do ensino de base Miguel António começaram a emitir sinais de alerta. A incapacidade progressiva de ver ao longe, fê-lo entrar para as estatísticas oficiais e tornar-se parte de um problema de saúde pública, que já afecta mais de um terço da população angolana.

  • 12/10/2017 12:46:53

    Partos institucionais aumentam no Luacano

    Luacano - Trinta e cinco partos institucionais, mais um em comparação ao período anterior, foram realizados no Centro Materno infantil do município do Luacano, província do Moxico, em Setembro último, informou o chefe da estatística, Guilherme Henda Saicunho.