Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

03 Janeiro de 2018 | 18h57 - Actualizado em 03 Janeiro de 2018 | 18h55

Mais de mil novos casos de VIH/SIDA diagnosticados em 2017 no Bié

Cuito - Mil e cento e dezasseis novos casos de VIH/Sida foram diagnosticados, de Janeiro a Dezembro de 2017, nas diversas unidades hospitalares do Bié, informou hoje (quarta-feira), o director provincial da Saúde, João Campos.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

SIDA afecta mais de mil pessoas em 2017

Foto: Angop/Arquivo

Em declarações à imprensa local, o responsável sublinhou que para o efeito foram testadas 51 mil e 812 pessoas, mormente gestantes e jovens, que se socorrem das unidades sanitárias, no quadro da campanha de sensibilização de combate à doença, incentivando as pessoas à testagem voluntária.

No período em causa, 75 pessoas morreram vítimas da doença, enquanto 83 outras se encontram afectadas com tuberculose, sublinhando que, para 2018, o sector da Saúde prevê reforçar a parceria com as instituições, nas acções de mobilização e sensibilização visando a redução da disseminação da patologia nas famílias.

Relembrou que no ano de 2016, o sector de Saúde na província do Bié testou 31 mil e 35 pessoas, contra 55 mil e 893 pessoas, de 2015, entre adultos, jovens e crianças, com realce para as gestantes, dos quais 561 tiveram resultado positivo, contra 970, de 2015, assim como se registaram 34 óbitos, contra 61, de 2015.

No Bié, com uma população estimada em um milhão, 455 mil e 233 habitantes, o sector da Saúde dispõem de 165 salas de Aconselhamento e Testagem do VIH/SIDA.

Participam nas acções de luta contra a SIDA, salientou, instituições tais como a OMS (Organização Mundial da Saúde) o UNICEF, (Fundo das Nações Unidas para Infância), AJOSSIDA (Associações dos Jovens na Luta conta a SIDA), a "People In Need", da República Checa e outras.

Frisou que os pacientes recebem, gratuitamente, os anti-retrovirais e outros fármacos, visando tratar as patologias associadas, mormente a tuberculose e a malária, frisando a importância das famílias puderem ajudar, sobretudo no combate ao estigma da doença na sociedade.

Sem avançar as quantidades, a fonte asseverou que os pacientes e jovens, nas campanhas de sensibilização, recebem preservativos, panfletos e cartilhas que retratam as formas de transmissão e prevenção da SIDA, tendo apelado às pessoas a pôr em prática os conselhos dos técnicos. 

Assuntos Província » Bié   Sociedade  

Leia também
  • 16/03/2018 17:18:45

    Província sem casos de cólera há oito anos - Director da Saúde

    Cuito - A província do Bié (Centro de Angola) não regista casos de cólera, há cerca de oito anos, confirmou hoje (sexta-feira), na cidade do Cuito, o responsável de controlo de endemias e epidemiológica da direcção da Saúde, Nelson Stover.

  • 16/03/2018 17:17:59

    CVA cria mais de cem agentes voluntários para prevenção de doenças no Cuito

    Cuito - A Cruz Vermelha de Angola (CVA) na província do Bié constituiu hoje (sexta-feira), na cidade do Cuito, uma brigada de cem novos agentes comunitários voluntários, com o fito de sensibilizar a população para prevenir-se das doenças, através da promoção do saneamento básico, soube a Angop.

  • 16/03/2018 17:17:09

    Sector da Saúde no Ngonguembo necessita de 30 técnicos

    Ndalatando - Trinta novos técnicos de Saúde, entre enfermeiros e médicos, são necessários para assegurar o normal funcionamento do Sector da Saúde no município do Ngonguembo, província do Cuanza Norte, adiantou hoje (sexta-feira) o administrador municipal, Mateus Abdré Garcia.

  • 16/03/2018 17:16:19

    Hospital municipal notifica redução de mortes por malária

    Dondo - O hospital municipal de Cambambe, província do Cuanza Norte, registou, de Janeiro a Fevereiro deste ano, três óbitos/mês, por malária, menos seis mortes mensais em comparação com o igual período de 2017, fez saber hoje (sexta-feira) o director municipal de Saúde, Miguel Coxe Simão.