Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

08 Fevereiro de 2018 | 20h17 - Actualizado em 08 Fevereiro de 2018 | 21h14

Huambo: Programa "Malária Zero" define acções de prevenção

Huambo - Um milhão e 250 mil mosquiteiros tratados com insecticida de longa duração vão ser distribuídos até ao mês de Dezembro, pela direcção local da Saúde, no âmbito do programa de "Malária Zero".

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huambo: Directora provincial da Saúde, Jovita Cachequele

Foto: Júlio Vilinga

Ao anunciar o facto hoje, quinta-feira, à Angop, a directora da Saúde, Jovita Cachequele, disse que o uso de mosquiteiros é um dos métodos mais simples de prevenir-se da picada do mosquito transmissor da malária.

Paralelamente à distribuição dos mosquiteiros, informou que prevê-se, este ano, diagnosticar precocemente todos os casos de malária, estando disponíveis, para o efeito, 300 mil testes rápidos e reagente suficiente para testes laboratoriais com microscópios.

Quanto às acções de luta anti-vectorial, a responsável disse que serão feitas nos 11 municípios da província, através da pulverização intra e extra domiciliar, informando que a luta anti-larvar, com uso de bio-larvicida será intensificada.

Jovita Cachequele informou que o programa “malária zero” contempla a mobilização de oito mil pessoas para campanhas de doação de sangue, realização do fórum regional para estudar e melhorar as medidas de prevenção e notificação de casos das províncias limítrofes e promover campanhas, nas aldeias e bairros, sobre a utilização correcta de mosquiteiros, com vista a prevenir as pessoas da picada do mosquito.

Deu a conhecer que o sector da saúde, este ano, vai orientar, mensalmente, as repartições e hospitais para priorizarem os recursos financeiros alocados para o combate da doença e realizar conferências sobre o impacto desta mesma doença no desenvolvimento sócio-economico da província.

Está também previsto, até Dezembro próximo, adquirir e distribuir medicamentos diversos e anti-maláricos combinados, combustíveis e outros meios às repartições de saúde, hospitais e outras instituições sanitárias, para o controlo e combate da malária.

Quatrocentos e 11 milhões, 363 mil e 458 kwanzas é o valor que o governo da província do Huambo destinou para execução do projecto malária zero, em curso desde Dezembro de 2017.

Duzentos e 24 milhões, 706 mil e 240 kwanzas serão aplicados em despesas com combustíveis, 40 milhões e 500 mil com pessoal, 12 milhões, 960 mil para alimentação dos agentes sanitárias, sendo que serão constituídas 16 brigadas e 135 operadores em toda província.

Desde o segundo semestre de 2017 até a presente data a malária causou nesta província cerca de dois mil óbitos, de um total aproximado de 200 mil doentes.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também
  • 30/10/2018 21:28:38

    Promotores de saúde em formação sobre uso de mosquiteiro

    Huambo - Os técnicos de promoção de saúde na província do Huambo estão, desde hoje, a ser formados sobre uso correcto do mosquiteiro impregnado, no âmbito das acções em curso de combate à malária.

  • 24/10/2018 18:53:28

    Exército apostado na humanização dos serviços de saúde

    Huambo - O Exército angolano está seriamente apostado na humanização dos seus serviços de saúde, para elevar os níveis de valorização da vida, informou hoje, quarta-feira, na província do Huambo, o 2º comandante deste ramo das Forças Armadas, general Jaques Raúl.

  • 23/10/2018 23:17:25

    Especialistas de saúde das FAA em formação

    Huambo - Cento e 60 especialistas de saúde das Forças Armadas Angolanas (FAA) começaram a frequentar hoje, terça-feira, na província do Huambo, um curso de saúde ao nível sanitário.

  • 23/10/2018 23:05:26

    Conselhos de enfermagem exigem equidade no novo regime remuneratória

    Huambo - Os membros dos conselhos da entidade da classe de enfermagem na província do Huambo exigiram hoje, terça-feira, equidade e justiça no novo regime remuneratório proposto pelo Executivo, evitando, assim, a redução dos índices salariais face ao anterior.