Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

16 Abril de 2018 | 12h48 - Actualizado em 16 Abril de 2018 | 12h26

Governador defende mais vigilância epidemiológica na fronteira comum

Luena - O governador do Moxico, Gonçalves Muandumba, sugeriu a Ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, para se prestar uma maior atenção na vigilância epidemiológica na vasta fronteira entre Angola, República Democrática do Congo (RDC) e Zâmbia.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, visita o Centro Regional de Rebilitação Física do Moxico

Foto: David Dias

Moxico: Campanha de vacinação contra Pólio e Sarampo

Foto: kinda kyungu

O facto foi defendido num encontro entre a Ministra da Saúde e os membros do governo local, realizado durante o fim de semana, no quadro da sua visita de trabalho a província, precisando que a vigilância epidemiológica passa por promover-se campanhas de vacinação e de saúde preventiva numa cooperação com os países vizinhos.

Por ser uma província com uma vasta fronteira (1.077, sendo 747 com a Zâmbia e 330 com a RDC), segundo Muandumba, impõe-se a necessidade do reforço do controlo migratório para o bem da população destes três países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Na vertente assistencial, o governador pede uma intervenção nas estruturas físicas e apetrechamento de equipamento moderno do Hospital Sanatório e do Centro Regional de Reabilitação Física, este último que atende a região leste, que detém muitos deficientes de guerra e não só.

Entretanto, Sílvia Lutucuta após visitar as duas instituições prometeu analisar a situação para “possíveis soluções”.

Muandumba deu igualmente a conhecer à ministra que a província tem um elevado índice de pessoas contaminadas com tuberculose, Vih/sida e malária, esta última a principal causa de mortes.

No quadro do projecto de transformação do Hospital Geral em Hospital-Escola, o governador propôs o recrutamento de especialistas capazes de aproveitar os serviços de nefrologia, otorrinolaringologia, pneuomologia, que nunca funcionaram desde a reinauguração da instituição, a 14 de Fevereiro de 2015.

A jornada de trabalho da ministra da saúde, que visitou, com os parceiros sociais do UNICEF, OMS, FAS e outas, os hospitais Gerais, municipal do Moxico e de Camanongue, Maternidade provincial, Sanatório, Centro Médico da IEIA “Jesus Salva”, onde entregou uma ambulância, terminou domingo, com a oferta de quatro ambulâncias ao Hospital Geral.

A província do Moxico é a maior de Angola em termos de território (223, 023 km2), ocupando 17, 9 porcento do país. Cerca de 758.568 pessoas habitam a região 389.131, das quais mulheres.

Assuntos Província » Moxico   Saúde  

Leia também
  • 05/02/2019 14:08:39

    Doenças à espreita nos mercados a céu aberto

    Luanda - Frequentados há mais de 20 anos, os mercados a céu aberto ganharam o "rótulo" de principal ponto de venda de produtos a retalho em Luanda, essencialmente os do ramo alimentar. Todos os dias, atraem milhares de clientes, em busca de diversidade e baixos preços.

  • 02/02/2019 23:37:11

    Município de Kimbele ganha hospital de referência

    O município de Kimbele que dista a 261 quilómetros da cidade do Uíge, sede capital da província, conta com um novo hospital de referência, inaugurado este sábado, pelo governador local Mpinda Simão.

  • 01/02/2019 15:36:21

    Governador quer mais médicos na periferia

    Luanda - O governador da província de Luanda, Sérgio Luther Rescova, recomendou, nesta sexta-feira, o reforço do número de médicos no centro de saúde km12A, município de Viana, com vista a dar melhor resposta às solicitações dos utentes.

  • 01/02/2019 13:11:01

    Hemoterapia do hospital com mais sangue

    Huambo - Vinte e cinco litros de sangue foram doados hoje, sexta-feira, à hemoterapia do hospital central do Huambo, por funcionários do Gabinete local do Ambiente, Gestão de Resíduos e Serviços Comunitários e militares da região centro.