Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

04 Setembro de 2018 | 13h56 - Actualizado em 04 Setembro de 2018 | 13h57

PASS II melhora acesso aos serviços de saúde com qualidade

Luanda - O Programa de Apoio ao Sector da Saúde (PASS II), financiado pela fundo econômico de desenvolvimento da União Europeia, visa melhorar o acesso das populações angolanas aos serviços de saúde de qualidade, com particular atenção para os cuidados de saúde materno infantil.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

José Cunha, Secretário de Estado da Saúde

Foto: Lino Guimarães

Este programa vai abranger cinco províncias, nomeadamente Luanda, Benguela, Huíla, Huambo, e Bié.

O PASS II teve início em 2014 e é financiado pela União Europeia em benefício do Ministério da Saúde, com 30 milhões de euros.

Durante o discurso de abertura das jornadas técnicas do referido programa, o secretário de estado para área de saúde pública, José Vieira Dias da Cunha, disse que, desde 2004, o PASS II está focado na assistência técnica e elaboração de instrumentos para o apoio à planificação e orçamentação, gestão de recursos humanos e elaboração de uma base de dados de recursos humanos.

Esta ainda focado no reforço da capacidade de gestão das escolas de formação de técnicos de saúde, assim como no fortalecimento do sistema de informação em saúde, organização dos territórios de saúde e elaboração dos mapas sanitários.

Salientou ainda que o programa teve início em 2014, alinhado aos objectivos do sector, desenhado no plano nacional de desenvolvimento sanitário 2012-2025.

Fez saber que o seu término estava previsto para setembro de 2018, porém, foi estendido até março de 2019.

Salientou ainda que este último projecto está a desenvolver as academias de sistemas de informação municipais de saúde  (DHIS2) como um passo importante para a sustentabilidade deste instrumento no país.

Para si, esta ferramenta permite a recolha e processamento, bem como gera informação e melhora a tomada de decisão baseada em evidências, tanto na alocação de recursos e orçamento.

Por outro lado, acrescentou que o DHIS2 vai facilitar a monitorização dos indicadores de saúde.

Esta jornada oferece a oportunidade para apreciar o trabalho dos técnicos do Ministério da Saúde de todos os níveis desenvolvidos ao longo dos últimos quatro anos, com o apoio financeiro e assistência proporcionada pela União Europeia, através do programa de apoio ao sector saúde.

Assuntos Serviços de saúde  

Leia também
  • 01/11/2018 15:31:09

    Mais de quatro mil pacientes assistidos no centro de reabilitação do Bié

    Cuito - Pelo menos quatro mil 545 pacientes, entre crianças e adultos, com deficiências físicas foram assistidas no centro de reabilitação física, de Janeiro a 31 de Outubro deste ano, informou hoje, quinta-feira, no Cuito, o administrador da unidade, Bertil Afonso Cassoma.

  • 31/10/2018 14:28:29

    Sanatório sem reagentes para exames

    Menongue - A falta de reagentes, nos últimos dias, no hospital sanatório de Menongue, no Cuando Cubango, tem levado a que o diagnóstico da tuberculose seja feito com recurso ao exame de raio X, informou terça-feira, a administradora da unidade sanitária, Victória Mutango.

  • 30/10/2018 11:51:45

    Distribuídos 1.345 mosquiteiros a população da Lúbia

    Nhârea - Mil e 345 mosquiteiros impregnados foram distribuídos às comunidades da comuna da Lúbia, município do Nhârea, 240 quilómetros a norte da província do Bié, desde Agosto a presente data, pelas autoridades sanitárias na circunscrição.

  • 30/10/2018 09:48:45

    Novas unidades sanitárias reforçam serviços na Nharea

    Nhârea - Duas novas unidades sanitárias com a capacidade de internar doze pacientes cada, erguidas pelo governo local, começam a funcionar em Novembro deste ano, nas localidades de Chiculumbo e Maria Teresa, no município de Nhârea, 175 quilómetros a Norte da cidade do Cuito (Bié).