Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

11 Janeiro de 2019 | 15h16 - Actualizado em 11 Janeiro de 2019 | 15h15

Observatório quer adiamento das eleições na Ordem dos Médicos de Angola

Luanda - Os candidatos ao cargo de bastionário da Ordem de Médicos de Angola (OMA) solicitaram nesta sexta-feira, em Luanda, a prorrogação do prazo para a formação das comissões eleitorais provinciais.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O acto eleitoral na OMA, cujo vencedor vai substituir o também médico Carlos Pinto, está marcado para Fevereiro de 2019.

Para o novo mandato concorrem quatro candidatos: Elisa Gaspar, Mauro Freitas, Mateus Bettencourt e Luís Pascoal.

O porta-voz do Observatório Médico, Jeremias Agostinho, que falava em conferência de imprensa, avançou que os incumprimentos dos pressupostos legais, tais como a não publicação, até ao dia três de Janeiro, das listas dos concorrentes, bem como a não realização do acto nas demais províncias.

“Até ao momento não se sabe quem são os candidatos cujas propostas foram aprovadas e a ordem dos boletins de voto”, salientou.

Apontou ainda a não publicação dos cadernos eleitorais com os dados da população votante,  avançando que este mês devia começar a campanha eleitoral.

De acordo com também médico, os três candidatos conhecidos até ao momento: Mário Frestas, Elisa Gaspar e Mateus Betencourt, estão impossibilitados de fazer campanha devido as irregularidades e inconformidades.

Jeremias Agostinho denunciou, no entanto, o facto de Luís Pascoal, candidato apoiado pela actual direcção, estar a fazer campanha, violando a lei eleitoral.

O regulamento é omisso no que toca a impossibilidade de voto por falta de quotas, mas, segundo Jeremias Agostinho, a comissão eleitoral alega que o não pagamento impede o votante de exercer o seu direito.

Estão inscritos na Ordem dos Médicos 6.479 profissionais, sendo 5.491 angolanos e 988 estrangeiros.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 05/02/2019 14:08:39

    Doenças à espreita nos mercados a céu aberto

    Luanda - Frequentados há mais de 20 anos, os mercados a céu aberto ganharam o "rótulo" de principal ponto de venda de produtos a retalho em Luanda, essencialmente os do ramo alimentar. Todos os dias, atraem milhares de clientes, em busca de diversidade e baixos preços.

  • 19/01/2019 14:40:04

    Minsa e enfermeiros alcançam consenso negocial

    Luanda - Depois de um mês de negociações, o Ministério da Saúde (Minsa) e o Sindicato dos Enfermeiros de Angola (SINDEA) alcançaram consenso, pondo fim à ameaça de greve no sector da saúde.

  • 18/01/2019 18:12:06

    Candidatos na ordem dos médicos com 10 dias para regularizar processos

    Luanda - A Comissão Nacional Eleitoral da Ordem dos Médicos de Angola deu, nesta sexta-feira, em Luanda, 10 dias aos candidatos a bastonários para regularizar a situação relativa as inscrições da população votante.

  • 16/01/2019 17:04:58

    Mais de 10 mil enfermeiros sem emprego no país

    Luanda - A Ordem dos Enfermeiros de Angola (ORDENFA) informou nesta quarta-feira, em Luanda, que pelo menos 10 mil e 100 profissionais do ramo estão desempregados no país.