Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

20 Fevereiro de 2019 | 03h39 - Actualizado em 20 Fevereiro de 2019 | 03h38

Pessoal médico selecionado do último concurso tem residências no Bié

Cuito - O Governo do Bié (Centro de Angola) disponibilizou 14 casas para alojar os catorze médicos seleccionados do último concurso público, anunciou, o director do gabinete provincial da Saúde, João Campos.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Em declarações terça-feira, à Angop, na cidade do Cuito, o responsável garantiu estarem já disponíveis e apetrechadas às residências em nove municípios que compõe a província do Bié.

Sublinhou que, às autoridades locais aguardam apenas por questões técnicas (inserção nas folhas de salario, admitindo ainda que, o governo pretende a medio prazo colocar a disposição 10 casas em cada município para albergar os funcionários do sector da saúde interessado em prestar trabalhos naquelas localidades (sedes municipais e comunais).

Disse no entanto que, ao Bié haviam sido disponibilizadas no concurso passado 99 vagas, dais quais 85 por preencher, devido às reprovações dos médicos participantes ao concurso realizado em 2018.

João Campos, assegurou que, o Ministério da Saúde garantiu a possibilidade de se readmitir os quadros, desde que participem da formação de refrescamento destinada aos médicos nestas condições (reprovados), salientando que, acção formativa começa em Março.

Outrossim, afirmou que, de 2016 a presente data a província do Bié, passou de 90 para 140 médicos, entre nacionais (76) e estrangeiros colocados em nove municípios, colocados em Catabola, Cunhinga, Chitembo, Andulo, Cuito, Nhârea, Camacupa, Cuemba e Chinguar.

Avançou ainda que, apesar dos números avançados, à província do Bié, continua a necessitar de pelo menos mil médicos, para dar cobertura total a região, em cumprimento também às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) que, determina a extensão do atendimento medico a todas localidades, fundamentalmente com maior densidade populacional.

Lembrou que o ano passado foram diagnosticados, 337 mil 462 casos de malária, em 178 unidades sanitárias que a região controla, mais 176 mil 947 em relação a 2017, que resultaram em mil e 16 óbitos, mais 80 de igual período anterior.


O Cuito, capital da província, segundo ele, lidera com 73 mil 692 casos, seguido do Andulo com 64 mil 541, Chitembo registou 48 mil 619, enquanto, Camacupa conta com 40 mil 613.


Já o município do Chinguar, segundo ele, notificou este ano, 32 mil 173, o Cunhinga, com 33 mil 834, a localidade de Nhârea com 31 mil 363, Catabola com 22 mil 926, sendo, a municipalidade do Cuemba está com número reduzido de 17 mil 30, enquanto, o Hospital Geral do Bié registou em 2018, 8 mil 671.


João Campos Cacungula, avançou estar na base do aumento de casos, o mau uso de mosquiteiro, falta de cultura dos populares em aderir às unidades sanitárias e a insuficiência no melhoramento do saneamento básico nestas municipalidades.


Confirmou estar em curso a implementação de estratégias para inverter o índice de morbi-mortalidade, principalmente em mulheres grávidas e crianças, através da implementação de acções de melhoria do saneamento básico do meio e distribuição de mosquiteiros.


Garantiu ainda, a existência e introdução de novos medicamentos nas unidades sanitárias municipais, sem no entanto especificar as quantidades, associada ainda entre as medidas, o treinamento do pessoal médico, pulverização dos bairros e residências e a testagem rápida, como formas de prevenir a malária.

Entre as patologias que mais assolam a população deste centro do país, constam a malária, doenças diarreicas e respiratórias agudas, diabetes, reumatismo, febre tifoide e infecções de transmissão sexual e outras.


A província do Bié, com um milhão 455 mil 255 habitantes, conta com 178 unidades sanitárias, onde labutam três mil 373 profissionais, entre eles, 76 médicos nacionais e 64 estrangeiros, onde predomina, a malária, doenças diarreicas agudas e respiratórias, HIV/SIDA, entre as doenças mais frequentes.

Leia também
  • 19/02/2019 16:35:53

    Município do Cuito com cinquenta e quatro novos casos VIH/SIDA

    Cuito - Cinquenta e quatro novos casos positivos de VIH/SIDA foram diagnosticados no município do Cuito, capital da província do Bié, durante o mês de Janeiro deste ano, mais dez em relação ao igual período de 2018.

  • 16/02/2019 02:35:25

    Médicos da Fundação Elena Barraquer operam 400 cataratas em Luanda

    Luanda - Pelo menos 400 pacientes serão submetidos a cirurgias de cataratas no Hospital Geral de Luanda, numa missão humanitária da fundação espanhola Elena Barraquer, que chega hoje (sábado) a capital do país.

  • 15/02/2019 17:53:01

    Lei do Utente fica pronta este ano

    Luanda - Angola terá, a partir deste ano, uma Lei do Utente para responder as necessidades dos usuários das unidades sanitárias, anunciou, em Luanda, a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta.