Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

13 Julho de 2019 | 00h57 - Actualizado em 13 Julho de 2019 | 00h57

Malanje: Província ganha primeiro centro de atenção adoentes mentais

Malanje - Um Centro de atenção aos doentes mentais, o primeiro da província, foi inaugurado sexta-feira, nesta cidade, visando a assistência e controlo de pessoas com perturbações psíquicas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A unidade surge para fazer face ao elevado número de dementes que deambulam pelas artérias da cidade de Malanje, para além de ser uma preocupação do governo da província combater a tendência do aumento de pessoas nessa condição, através da prevenção.

O Centro comporta um consultório de psiquiatria, uma sala de tratamento com cinco camas, farmácia, consultórios de psicologia clínica, entre outras dependências e vai funcionar numa primeira fase com 15 técnicos, entre os quais três psicólogos clínicos, psiquiatras e outros.

No acto inaugural, o governador provincial, Norberto dos Santos fez saber que se trata de um espaço provisório, que poderá funcionar provavelmente até 2020, enquanto se aguarda pela construção de uma psiquiatria provincial, inscrita no programa de acção do governo de Malanje de 2019, cujo arranque poderá acontecer nos próximos tempos.

Entretanto, o dirigente apelou aos jovens no sentido de se absterem do uso de drogas pesadas e do excesso de bebidas alcoólicas, por se tratar de uma prática que vem se enraizando no seio dessa franja e consequentemente originando em muitos casos, problemas mentais, o que pode se evitar.

Exortou por outro lado, as famílias a prestarem todo o apoio necessário aos seus membros que vivem com perturbações mentais, ao invés de abandoná-los como tem se verificado com muita frequência, pois muitos destes são passíveis de cura caso sejam acompanhados por pessoas próximas e passem por terapias.

“Quando o familiar esteja adoentado, tragam-lhe para o Centro, para ser consultado e saber a sua condição e o tipo de tratamento que precisa, porque nem todos que aparentam ter problemas mentais, têm e alguns podem ser tratados através de conversa ou terapia”, frisou.

O coordenador do Centro, Manuel Monteiro, disse que a unidade está vocacionada para atender todos os tipos de doenças mentais, explicando que um estudo preliminar feito por uma equipa de psicólogos referente ao período de 2016 a 2018, dá indicações da existência de mais de 600 pessoas dementes na província, daí que é oportuna a abertura do espaço.

Realçou que os doentes mentais, sobretudo os portadores de psicoses, os chamados “malucos”, representam perigo para a sociedade e a segurança pública, porquanto vagueiam pelas ruas, mas apesar disso, beneficiam do direito à vida e não só, por se tratar de seres humanos, por isso o Centro de atenção ora aberto, vai fazer valer essa perspectiva na vertente de assistência psicológica e médica.

“Estes doentes podem ser recuperados e compensados e posteriormente reinseridos nas famílias e na sociedade”, frisou, acrescentando que o mesmo numa primeira fase vai trabalhar apenas na vertente profilática e terapêutica, por não dispor de capacidade elevada de internamento, até que surja o futuro hospital psiquiátrico.

Fez saber que as cinco camas disponíveis servirão apenas para internamento de doentes extremos, mas para períodos curtos de até cinco dias, sendo que os graves serão transferidos para o hospital psiquiátrico de Luanda.

O Centro funciona provisoriamente em instalações adaptadas no hospital do bairro Cahala, na cidade de Malanje.

Assuntos Província » Malanje   Saúde  

Leia também
  • 12/07/2019 16:40:40

    Registado aumento de óbitos por hipertensão na Lunda Sul

    Saurimo - Trinta e uma pessoas com idades entre os 30 a 50 anos perderam a vida vítimas de hipertensão arterial, no primeiro semestre deste ano, contra 23 de igual período anterior.

  • 12/07/2019 14:47:25

    Falta de informação dificulta acesso ao planeamento familiar

    Luanda - A falta de informação sobre a importância do planeamento familiar tem dificultado o acesso das mulheres em idade reprodutiva a esses serviços reiterou hoje (sexta-feira), a técnica em saúde reprodutiva, Manuela da Cunha.

  • 12/07/2019 13:16:34

    Ordem advoga especialidade de médico de família

    Luanda - A presidente do núcleo provincial da Ordem dos Médicos, Manuela Sotto Mayor, defendeu nesta sexta-feira, em Luanda, a implementação de médicos de família e outros profissionais de apoio para assegurar os cuidados primários de saúde na comunidade e melhorar o trabalho nos hospitais de referência.