Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

21 Agosto de 2019 | 21h28 - Actualizado em 21 Agosto de 2019 | 21h28

Autoridades registam baixa significativa de mortes por malária

Huambo - As autoridades sanitárias da província do Huambo registaram, entre Janeiro à presente data, 232 mortes provocadas por malária, de um total de 253 mil e 789 casos diagnosticados, uma redução de mil e 18 óbitos em comparação ao igual período anterior.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Os dados foram avançados hoje, quarta-feira, à ANGOP pelo chefe do departamento de Saúde Pública nesta região, Celestino Máquina, acrescentando que, em igual período de 2018, as autoridades haviam diagnosticado 368 mil e 949 casos de malária.

O responsável informou que durante o período em referência os hospitais, centros de saúde e postos médicos do planalto central, distribuíram um milhão e 400 mil redes mosquiteiras nas consultas pré-natais, de modo a evitar que as gestantes sejam picadas pelo mosquito, transmissor da malária.

Celestino Máquina referiu ainda que a redução dos casos de morte deve-se a intensificação das acções de vigilância epidemiológica nas comunidades, essencialmente nas mais endémicas.

“Temos estado a identificar os casos de malária, de forma pontual, através das feiras de saúde, bem como das acções de sensibilização promovidas por via do programa Malária Zero e não só, facilitando, deste modo, o combate a esta patologia em tempo oportuno”, explicou.

Entretanto, realçou que os municípios da Chicala-Cholohanga, Ecunha e Bailundo são, entre os 11 que compõem a província, os mais endémicos, no tocante à esta doença, sendo que estão a receber uma atenção especial para se reverter o quadro, sem negligenciar os demais.

Celestino Máquina fez saber que, apesar de a malária ser a segunda doença que mais enferma a população local, depois das doenças respiratórias agudas, ainda contínua a ser a principal causa de morte.

Considerou que, actualmente, a situação desta patologia na província está a obedecer a uma mudança positiva, tendo em conta a redução de casos de morte e de doença, daí a razão da população continuar aderir aos métodos de prevenção, no quadro das políticas de erradicação.

Com uma rede sanitária de 248 unidades hospitalares, a província do Huambo possui uma extensão territorial de 35.771 quilómetros quadrados e uma população de dois milhões, 519 mil e 309 habitantes, que vivem nos municípios do Bailundo, Caála, Chicala-Cholohanga, Cachiungo, Chinjenje, Ecunha, Huambo, Londuimbali, Longonjo, Mungo e Ucuma.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também
  • 20/08/2019 22:13:42

    Crenças religiosas levam pais a impedir vacinação de filhos

    Huambo - Alguns membros da extinta seita religiosa "Luz do Mundo" inviabilizaram a campanha emergencial de vacinação contra a poliomielite, em curso desde o passado dia dois, na província do Huambo, com a recusa da imunização dos filhos.

  • 20/08/2019 12:39:15

    Falta de bloco operatório condiciona actividade de hospital do Longonjo

    Huambo - O hospital municipal do Longonjo, situado a 64 quilómetros da cidade do Huambo, carece de um bloco operatório para cirurgias de emergência, no âmbito da melhoria da assistência médica e medicamentosa à população e humanização dos serviços de saúde.

  • 19/08/2019 12:44:19

    Adesão de mulheres ao planeamento familiar tende a aumentar

    Huambo - Mil e 815 mulheres em idade fértil aderiram ao planeamento familiar, durante o I semestre deste ano, no Centro Materno Infantil Mineira, na cidade de Huambo, mais 602 casos em relação ao igual período de 2018.