Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

19 Agosto de 2019 | 12h39 - Actualizado em 19 Agosto de 2019 | 12h39

Gravidez precoce lidera mortalidade materno-infantil no Cuanza Norte

Ndalatando - O aumento de casos de gravidez em adolescentes preocupa as autoridade sanitárias do Cuanza Norte, pelo facto destas ocorrências estarem entre as principais causas de mortalidade materno-infantil na província.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O facto foi revelado à Angop hoje (segunda-feira) pelo director clínico do hospital materno-infantil, Fidel João Hebo, referindo que a instituição assistiu, de Janeiro a Junho do ano em curso, mil 437 mulheres em trabalho de parto, das quais 443 adolescentes.

Segundo ele, trata-se de uma realidade preocupante em virtude das parturientes adolescentes não estarem fisicamente preparadas para a realização de partos normais, o que obriga ao recurso à cesariana como forma de salvar a vida das mães e dos bebés.

Esclareceu que das mil 437 mulheres assistidas em trabalhos de parto no primeiro semestre 245 foram submetidos à cesariana, com saldo de 104 nados-mortos e nove mortes maternas.

Comparativamente ao primeiro semestre de 2018, o responsável indicou um aumento de 376 partos assistidos, com a redução de 34 casos de cesariana, menos seis nados-mortos e decréscimo de três mortes maternas.

O médico indicou a procura tardia dos serviços de saúde, o incumprimento do calendário de consultas pré-natais, as hemorragias pós-parto e as pré-eclâmpsias como causas da mortalidade materno-infantil registadas na instituição.

Fidel Hebo defendeu maior diálogo entre pais e filhos visando o reforço da educação sexual no seio familiar, realidade que deve ser reforçada nas unidade de ensino, como forma de se elevar a consciência das adolescentes e se reduzirem os casos de gravidezes precoces.

Entre as principais dificuldades da instituição, o responsável indicou a insuficiência de médicos, dado que a unidade labora apenas com oito profissionais de medicina, dos 60 necessários para garantia do atendimento pleno aos pacientes.

Inaugurado em 2012, o hospital materno-infantil do Cuanza Norte conta com 149 camas e tem assegurada a assistência médica nas especialidades de pediatria, ginecologia, obstetrícia e neonatologia, prevendo-se a abertura dos serviços de fisioterapia.

   nnnn

Leia também
  • 18/08/2019 18:02:58

    Mais de 500 mil crianças vacinadas contra pólio

    Matala - Mais de 500 mil crianças, de seis meses a cinco anos de idade, de um universo de 1.184.687 previstas, foram vacinadas contra a poliomielite, no quadro da campanha de imunização que decorre desde sexta-feira, nas províncias do Huambo, Bié, Cuando Cubango, Cunene e Huíla.

  • 17/08/2019 17:01:37

    Falta de hospital materno infantil preocupa munícipes da Nhârea

    Nhârea: A ausências de uma unidade hospitalar materno infantil especializado, no município da Nhârea (Bié), preocupa os cidadãos face as mortes de parturientes que a província regista.

  • 15/08/2019 16:09:25

    Hospital de Massango precisa de médicos especialistas

    Malanje - O hospital municipal de Massango, província de Malanje precisa de especialistas em ortopedia, ginecologia, psicologia clínica e nutrição, informou nesta quinta-feira o director hospitalar em exercício, Santos Cabaça.