Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

18 Outubro de 2019 | 11h59 - Actualizado em 18 Outubro de 2019 | 12h49

Polícia Nacional contra o cancro da mama

Luanda - A Polícia Nacional (PN) juntou-se hoje (sexta-feira) aos esforços do governo na luta contra o cancro, com o lançamento de uma campanha de prevenção contra a doença, sob o tema “Previna-se & faça o auto-exame”.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Polícia Nacional Contra o Cancro da Mama

Foto: Cedida

No acto de abertura, o director dos Serviços de Saúde da Polícia Nacional, comissário João Sardinha, sublinhou que o cancro da mama não atinge só mulheres civis, daí a preocupação e o engajamento da PN no combate à uma doença que pode ser prevenida com um simples gesto e tratada precocemente.

Segundo a directora adjunta dos Serviços de Saúde da PN, Rosa Bessa, a campanha iniciada hoje com uma palestra sobre os factores de risco, as formas de prevenção e a detecção precoce, decorre no âmbito do “Outubro Rosa” e vai até 31 deste mês.

Para a especialista em ginecologia obstetrícia, a campanha, que inclui a distribuição de panfletos, foi criada para a divulgação não apenas em Outubro, mas ao longo do ano inteiro, porque o cuidado com as mamas deve ser uma preocupação permanente.

Acrescentou que a situação actual é preocupante para todas as mulheres, pois, de Janeiro a Outubro deste ano, foram registados no país pelo menos 320 casos de cancro da mama, na maioria em estado já avançado.

Por isso, disse, o auto-exame da mama deve ser feito uma vez por mês, sendo a melhor altura a semana a seguir ao período menstrual.

Aconselhou que, além de prestarem atenção ao próprio corpo, mulheres de 50 a 69 anos devem fazer mamografia de rastreamento a cada dois anos, o que pode ajudar a identificar o câncer antes de a pessoa ter sintomas.

Os principais sinais e sintomas da doença são um caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor e pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja

Alterações no bico do peito (mamilo) e saída espontânea de líquido de um dos mamilos e pequenos nódulos no pescoço ou na região em baixo dos braços (axilas) são outros sintomas da enfermidade.

Não há uma causa única para o câncer de mama, sendo que diversos agentes estão relacionados ao desenvolvimento da doença entre as mulheres, como envelhecimento (quanto mais idade, maior o risco de ter a doença).

Factores relacionados à vida reprodutiva (idade da primeira menstruação, ter tido ou não filhos, ter ou não amamentado, idade em que entrou na menopausa), histórico familiar de câncer da mama, consumo de álcool, excesso de peso, actividade física insuficiente e exposição à radiação ionizante também podem causar a doença.

A prática de actividade física e de alimentação saudável, com manutenção do peso corporal adequado, estão associadas a menor risco de desenvolver câncer de mama, pois cerca de 30 por cento dos casos podem ser evitados em caso de adopção de hábitos saudáveis.

Assuntos Doença  

Leia também
  • 17/10/2019 13:40:32

    Ministério da Saúde e BFA assinam acordo de parceria

    Cuito - O Ministério da Saúde (MINSA) e o Banco de Fomento de Angola (BFA) assinaram esta quinta-feira, no Cuito, um acordo para se implementar o projecto denominado "BFA+Nutrir", no Bié, avaliado em 600 mil dólares americanos, o equivalente em Kwanzas.

  • 18/09/2019 13:23:49

    Sarampo causa nove mortes no Lucapa

    Dundo - Nove pessoas morreram vítimas de sarampo, surto que assola o município de Lucapa (Lunda Norte), desde Maio deste ano, soube nesta quarta-feira à Angop de fonte oficial.

  • 11/09/2019 19:00:18

    Instituto regista 22 casos de doença do sono em seis meses

    Luanda - O Instituto de Combate e Controlo da Tripanossomíase (ICCT), localizado no município de Viana, em Luanda, registou 22 casos de doença de sono durante o primeiro semestre de 2019.