Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

27 Janeiro de 2020 | 14h49 - Actualizado em 27 Janeiro de 2020 | 14h47

Ministério da Saúde aposta na especialização dos técnicos

Menongue - Mil e 40 médicos beneficiarão de especialização em diferentes áreas, de 2020 a 2024, para responder a demanda da população, adiantou o Secretário de Estado para a Área Hospitalar, Leonardo Inocêncio.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O responsável falava sábado, em Menongue, província do Cuando Cubango, à margem da abertura das jornadas científicas do hospital geral do Cuando Cubango, cuja sessão de abertura foi orientada pela Bastonária da Ordem dos Médicos, Elisa Gaspar.

Explicou que o número faz parte de um total de 4.133 médicos existentes no país, divididos em 3.304 angolanos e 1.129 expatriados, dos quais 1.316 são especializados e os demais clínicos gerais.

Reconheceu que o concurso público de ingresso no Ministério da Saúde realizado em 2018, permitiu aumentar a cobertura de médicos e enfermeiros, tendo passado de 0,9 para 1,4 médicos para 10 mil habitantes.

O número de enfermeiros passou de 9,6 para 11 em cada 10 mil habitantes, os técnicos de diagnóstico e terapêutico passaram de 1,8 para dois técnicos para 10 mil habitantes.

Aos médicos, o Secretário de Estado aconselhou no sentido de continuarem a primar por iniciativas de solidariedade, com vista a prestar assistência médica e medicamentosa às populações que se encontram em zonas recônditas e com dificuldades para acorrerem às unidades sanitárias de referência.

Instou a Ordem dos Médicos para o auxílio contínuo do Governo na busca pela humanização dos serviços de saúde, primando por princípios éticos e morais ao nível de todos os profissionais do ramo da saúde.

Durante o evento, que contou com realização de um feira da saúde de 20 a 25 deste mês, os 64 médicos de 47 especialidades prestaram atendimento para 719 pacientes na especialidade de pediatria, 727 na área de medicina geral, 129 de oftalmologia, 124 de ginecologia obstetrícia, 69 na vertente de estomatologia, 45 em cirurgia, 19 na especialidade de fisiatria, 12 em psiquiatria e endocrinologia respectivamente, bem como cinco na especialidade de ortopedia-traumatologia.

Nesta senda, Elisa Gaspar chamou uma especial atenção das autoridades governamentais e encarregados de educação, para a melhoria da dieta alimentar às crianças, uma vez que pelo menos, 90 por cento das crianças dos zero aos cinco anos que acorreram a feira, foram diagnosticadas com mal nutrição severa.

Realçou que a feira de Saúde, permitiu de igual modo, realizar com sucesso operações aos pacientes com cataratas, pé-diabética, quistos, hérnias, apendicite, abcesso, entre outros casos, num total de 15 operações, bem como a realização de palestras, no sentido de sensibilizar a comunidade a primar pela saúde preventiva, por formas a acautelar situações de perigosidade para a saúde humana.

Leia também
  • 27/01/2020 14:27:47

    Angola destaca-se na aquisição das 12 vacinas infantis

    Luanda - Angola destaca-se como único País da região da SADC que adquiriu na totalidade, com financiamento do Orçamento Geral do Estado (OGE), as 12 vacinas do calendário nacional de vacinação que protege 13 doenças em menores de cinco anos.

  • 24/01/2020 12:39:24

    Minsa proíbe uso de vacina BCG da Índia

    Luanda - O Inspecção Geral do Ministério da Saúde proibiu a importação, distribuição, comercialização e o uso da vacina do tipo BCG liofilizada para prevenção da tuberculose do fabricante indiano Green Signal Bio Pharma Pvt Ltd Índia, produzida em 2019.

  • 04/01/2020 17:00:27

    Zaire: Centro de saúde da Serra de Kanda sem laboratório para análises clínicas

    Mbanza Kongo - O centro de saúde da comuna da Serra de Kanda, município do Cuimba, província do Zaire, está sem laboratório para as análises clínicas há treze anos, situação que tem dificultado o normal funcionamento daquela unidade sanitária.