Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

28 Março de 2020 | 22h23 - Actualizado em 28 Março de 2020 | 22h22

Covid-19: Morte suspeita em investigação clínica

Luanda - As amostras do cidadão angolano que faleceu, este sábado, na clínica Girassol, estão em processamento laboratorial, para se apurar a real causa da morte, informou hoje a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministra da Saúde, Silvia Lutucuta, em conferência de imprensa de actualização sobre o Covid-19

Foto: Gaspar dos Santos

De acordo com a governante, da avaliação epidemiológica e clínica feita ao cidadão falecido, diagnosticou-se outras doenças associadas, sobretudo insuficiência respiratória súbita que resultou em óbito.  

"O cidadão não tem um vínculo epidemiológico com os países de risco que têm a circulação comunitária do vírus (Itália, Portugal, Espanha, Coreia do Sul e Irão), tendo manifestações clínicas da pandemia”, disse.

Questionada sobe a eficácia do teste e tempo de processamento, referiu que o resultado pode durar entre 24 a 48 horas, dependendo da quantidade de amostras já encontradas no laboratório.

Dados clínicos

Até à data, Angola já realizou 231 testes do novo Coronavírus (Covid-19), cinco dos quais resultando em positivo, numa percentagem de 2,16 por cento do número de amostras testadas no país.

De acordo com a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, a partir deste domingo (dia 29) o sector vai acelerar o processo de testagem, prevendo realizar 50 a 100 testes diariamente.

Falando na habitual conferência de imprensa de actualização dos dados, a governante explicou estarem em processamento 62 amostras, de um lote de cem, processadas nas últimas 24 horas (48 testes).

Sílvia Lutucuta informou que para além dessas amostras em processamento, existem 886 cidadãos suspeitas em quarentena institucional em todo país, dos quais 535 na capital Luanda.

Os demais cidadãos estão a cumprir o período de quarentena institucional nas províncias do Cunene (158 casos), Bié (4), Cuanza Norte (3), Uíge (14), Huíla (36) e Huambo (27), fora as pessoas em quarentena domiciliar.

A governante recordou existirem dois tipos de quarentenas (institucional e domiciliar), por falta de condições logísticas e escassez de recursos humanos.

Quatro meses após ao despoletar do surto, Angola registou neste sábado (dia 28) o quinto caso positivo do novo Coronavírus (covid-19), contraído por um cidadão de 54 anos, proveniente do Brasil.

Os primeiros dois casos positivos do Covid-19 no país detectaram-se no dia 21 de Março. O terceiro a 23, e o quarto a 26 do mesmo mês, envolvendo cidadãos angolanos provenientes de Portugal, dos quais uma mulher de 41 anos de idade.

Assuntos Saúde  

Leia também