Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

17 Setembro de 2020 | 21h07 - Actualizado em 17 Setembro de 2020 | 21h07

Covid-19: Saúde regista diminuição de assintomáticos

Luanda - O número de pacientes assintomáticos da Covid-19 baixou de mais de 80 para 57 por cento, com os doentes a expressarem sinais e sintomas como febre, tosse, dores de cabeça e irritação na garganta.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ilustração do COVID-19

Foto: Divulgação

“Há uma ligeira alteração dos sinais e sintomas dos nossos pacientes que estão em seguimento ou que passam pelos centros de tratamento”, informou o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, na sessão de actualização da Coviod-19 nas últimas 24 horas.

Informou que 57 por cento das pessoas que estão a ser seguidas não expressam nenhum sinal e sintoma, enquanto seis por cento dos internados expressam febres, a mesma percentagem para a presença de tosse, dificuldade respiratória e dor de cabeça.

Na faixa dos cinco por cento predomina a perca de cheiro, três por cento a irritação na garganta, dor do peito, e um por cento para casos de cansaço, dores articulares e perda do paladar e calafrios.

A província de Luanda continua o epicentro da doença, havendo um aumento no Zaire, Cabinda, Benguel, e Huambo.

Franco Mufinda reiterou a necessidade da população acatar as medidas de prevenção, como o uso da máscara facial, lavagem das mãos, distanciamento físico, entre outros.

“Hoje colhemos 900 amostras para analisar, numa base da biologia molecular, a efectivos da Polícia Nacional, sobretudo os afecto à especialidade da Ordem Pública e dos Bombeiros”, informou, justificando que a ideia é atingir 15 mil agentes da PN ou de toda “população policial”.

Fez saber igualmente que os hospitais passaram a testar todos os doentes internados, independentemente da sua doença.

O país soma 3. 789  casos positivos, com 144 óbitos, 1.405  recuperados e 2.240 activos.

Dos activos, um está em estado crítico com ventilação mecânica invasiva, 13 graves, 44 moderados, 60 com sintomas leves e 2.122 assintomáticos.

Quatrocentos e quarenta doentes estão sob seguimento nos centros de tratamento.

Assuntos Angola  

Leia também