Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

18 Setembro de 2020 | 15h10 - Actualizado em 18 Setembro de 2020 | 15h10

Covid-19: Síntese Mundial

Lisboa - A pandemia do novo coronavírus já causou a morte a mais de 946 mil pessoas e infectou mais de 30,2 milhões em todo o mundo desde Dezembro, segundo um balanço da agência AFP baseado em dados oficiais, noticiou a Lusa.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Dístico do COVID-19, novo Coronavírus

Foto: Divulgação

De acordo com o balanço da agência francesa de notícias, hoje às 11:00 TMG, já morreram pelo menos 946.727 pessoas e 30.218.930 foram infetadas em 196 países e territórios desde o início da epidemia de covid-19, em Dezembro de 2019, na cidade chinesa de Wuhan.

Pelo menos 20.346.800 pessoas já foram consideradas curadas pelas autoridades de saúde.

A AFP adverte que o número de casos diagnosticados reflecte apenas uma fração do total real de infeções, já que alguns países estão a testar apenas casos graves, outros usam o teste como uma prioridade para rastreamento e muitos países pobres têm apenas capacidade limitada de rastreamento.

Nas últimas 24 horas foram registadas 5.279 novas mortes e 301.608 novos casos em todo o mundo. Os países que registaram o maior número de novas mortes são a Índia (1.174), os Estados Unidos (928) e o Brasil (829).

Os Estados Unidos são o país mais afetado em termos de mortes e casos, com 197.655 mortes e 6.676.410 casos, de acordo com um balanço da Universidade Johns Hopkins. Pelo menos 2.540.334 pessoas foram declaradas curadas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil com 134.935 mortes e 4.455.386 casos, a Índia com 84.372 mortes (5.214.677 casos), o México com 72.179 mortes (684.113 casos) e o Reino Unido com 41.705 mortes (381.614 casos).

Entre os países mais atingidos, o Peru é o que apresenta o maior número de mortes em relação à sua população, com 94 mortes por 100.000 habitantes, seguido pela Bélgica (86), Espanha (65), Bolívia (64) e Chile (64).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau) contabilizou oficialmente um total de 85.255 casos (32 novos entre quinta-feira e hoje), incluindo 4.634 mortes e 80.455 recuperações.

América Latina e as Caraíbas totalizaram 318.527 mortes e 8.555.668 casos, a Europa 224.024 mortes (4.714.903 casos), Estados Unidos e Canadá 206.893 mortes (6.816.949 casos), Ásia 121.567 mortes (6.962.536 casos), Médio Oriente 41.399 mortes (1.753.986 casos), África 33.416 mortes (1.383.958 casos) e Oceânia 901 mortes (30.937 casos).

O balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais competentes e de informações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Devido a correcções feitas pelas autoridades ou publicação tardia dos dados, os números do aumento de 24 horas podem não corresponder exactamente aos publicados no dia anterior.

Portugal, de acordo com o último relatório da Direcção-Geral da Saúde (DGS), contabiliza 1.888 mortos associados à covid-19 em 66.396 casos confirmados de infecção.

Assuntos Doença  

Leia também
  • 17/09/2020 23:01:03

    Covid-19: Síntese Mundial

    Lisboa - A pandemia de covid-19 já infectou mais de 30 milhões de pessoas em todo o mundo, de acordo com o balanço mais recente, às 20:45 de Lisboa, feito pela agência France-Presse (AFP), segundo noticiou a Lusa.

  • 17/09/2020 13:43:26

    Covid-19: Síntese Mundial

    Lisboa - A pandemia do novo coronavírus já causou a morte a mais de 941 mil pessoas e infectou mais de 29,9 milhões em todo o mundo desde Dezembro, segundo um balanço da agência AFP baseado em dados oficiais, noticiou a Lusa.

  • 11/09/2020 19:49:07

    Bienos destacam benefícios do novo Hospital Central

    Cuito - Cidadãos da cidade do Cuito destacaram, hoje (sexta-feira), as valências que o novo Hospital Central do Bié vai trazer, sobretudo, na melhoria da assistência médica e medicamentosa, após a sua inauguração, neste sábado.