Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

08 Setembro de 2006 | 13h58

Bié: Município de Chinguar completa 92 anos

Kuito

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Kuito, 08/09 - O município do Chinguar, província do Bié, completa hoje 92 anos, desde que ascendeu à categoria de Vila, a oito de Setembro de 1914.

Chinguar, anteriormente denominado Nguali, nome de uma aldeia e do antigo soba da área, foi fundado em 1810, quando da chegada dos primeiros portugueses, provenientes da Embala Tchiundu, actual município de Katchiungo (ex-Bela Vista), administrativamente pertencente à vizinha província do Huambo.

A localidade é habitada por vários grupos etno-linguísticos, sendo o mais representativo o umbundo e o menos numeroso o ganguela.

Depois da sua fundação, em 1810, o município do Chinguar foi ganhando melhoria, principalmente no domínio sócio-económico, através do Caminho de Ferro de Benguela (CFB), bem como da estrada internacional que ligam Angola a Zâmbia, República Democrática do Congo.

As primeiras casas daquela vila foram de Pau-a-pique, e com o nado do tempo foram se erguendo construções de carácter definitivo, embora algumas já em estado de degradação.

Por falta de transporte moderno, a população transportava os bens em carroças (ochorra em língua nacional) e em meios puxados por bois, cultura que até hoje se preserva naquela localidade.

A cultura da população do Chinguar é caracterizada principalmente na gastronomia e nos seus rituais tradicionais. As danças mais típica são Okatita, Ossawaia e Omenda.

A guerra que assolou o país, em particular a província do Bié, destruiu grande parte das infra-estruturas sociais e económicas, entre eles armazéns, CFB, residências, escolas e hospitais.

Desde a assinatura dos acordos de paz, em Abril de 2002, o Governo, através do Programa do Melhoramento e Aumento dos Serviços Sociais Básicos à População, tem restaurado e construído, no Chinguar, várias infra-estruturas sócio-económicas para o bem-estar dos munícipes.

O município do Chinguar está localizado a 75 quilómetros a oeste do Kuito, capital biena. Tem uma extensão de 3.300 quilómetros quadrados com uma densidade populacional estimada em 388.886 habitantes, na sua maioria camponês, distribuídos em duas comunas, designadamente Kutato, Kangote e em embalas, quimbos e povoações.

Possui uma bacia hidrográfica que alimenta os rios que nascem na província do Huambo, designadamente Kuche e Kutato dos Bângalas, onde se prática a pesca fluvial.

A flora do Chinguar é caracterizada por pequenos arbustos como Ongoti, Omanda, Otchandala, Umbombo, Ussongue, Ometi, entre outras, e sua fauna por répteis como largatichas (ekangala), cobras de várias espécies, toupeiras(Onete), bem como jibóia (Omoma), cabra do mato (Ombambi).

Habitam ainda nele animais como Leão (Ohosi), onça (Ongue), perdiz (Onguali) coelho (Ondimba), Hipopótamo, Jacaré e vários tipos de peixe de água doce.

O relevo do município do Chinguar é constituído por áreas intercaladas por pequenas matas com um solo arável e fértil. A sua população dedica-se à agricultura de subsistência, piscicultura, caça, comércio, apicultura, criação de gado bovino, suíno, caprino, aves diversas, entras espécies.

Os produtos mais cultivados na área são batatas rena e doce, milho, feijão, ginguba, mandioca, rabanete, massambala, abóbora, matila e outros produtos desobrevivência.

Os solos possuem humidade suficiente e água abundante que possibilita, na época seca, o cultivo de diversas hortícolas, como tomate, pimento, couve, repolho e cebola.

A administração local está apostada no fomento da agricultura, como forma de criar a segurança alimentar, bem como combater a fome, miséria e nudez.

Actualmente, o município beneficia dos sinais da emissora provincial do Bié, a partir do centro emissor de alta potência, assim como da TPA, emitido da vizinha província do Huambo.

As religiões mais predominantes na zona são Católica, Evangélica Congregacional, Assembleia de Deus Pentecostal e Convenção Baptista. Estão presentes delegações partidárias do MPLA, UNITA, PRS, PLD e PADEPA.

Administrativamente, o município do Chinguar faz fronteira a sul com Chitembo, a este com Kuito, a oeste com Kacthiungo (Huambo) e a norte Kunhinga.

Depois da independência nacional, a 11 de Novembro de 1975, administraram o município do Chinguar os comissários Neto Pinto, Manuel de Oliveira Pena, Gabriel Essuvu, Augusto Barros, Carlos Fernando Candembe, entre outros. O actual chama-se Calvino Florindo Chingongo.

Os festejos do nonagésimo aniversário da vila do Chinguar têm como pontos altos inaugurações de diversas infra-estruturas, erguidas no quadro do Programa de Melhoramento e Aumento dos Serviços Sociais Básicos às Populações, actividades recreativas, culturais e desportivas.