Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

15 Junho de 2011 | 15h47 - Actualizado em 15 Junho de 2011 | 15h47

IURD afirma que proliferação de seitas resulta da democracia actual

Religião

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda – O presidente da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola, Feuni Batalha, afirmou hoje, quarta-feira, em Luanda, que o fenómeno religioso ou a proliferação de seitas no país é resultado da democracia e da multiculturalidade do mundo actual, não afectando apenas Angola.

Em declarações à Angop, durante o workshop sobre o “Fenómeno Religioso em Angola” o presidente da IURD argumentou que esta proliferação sempre existiu, mas hoje, talvez, com um pouco mais de força.

Feuni Batalha referiu que isto resulta do direito de se viver numa sociedade democrática, onde as portas estão abertas, não só no âmbito político e económico mais também no religioso, razão pelo qual as pessoas procuram encontrar as igrejas onde se sentem melhor.

Adianta que tal situação se regista também por se viver numa sociedade multicultural e que não tem uma forte coerção interna como as antigas possuíam, uma vez que nelas havia como que um modelo de pensar e sentir unânime.

Advogou que esta unanimidade hoje praticamente já não existe em nenhuma parte, fazendo com que as pessoas decidam, de uma forma ou outra, pelo seu caminho.

Manifestou, por outro lado, a sua satisfação pelo facto de estarem várias congregações reunidas para este grande debate em prol do bem da sociedade.

O religioso apelou ao governo a investir fortemente na educação da sociedade a nível religioso, pois vai ter melhor forma de decidir qual deve professar.

O evento realizado pelo Ministério da Cultura, com a duração de dois dias, almeja resultados como aperfeiçoar a comunicabilidade de referência com vista a obtenção de maior informação sobre as religiões em Angola, bem como o fenómeno do aparecimento de novas denominações religiosas e o seu impacto nas comunidades.

Identificar os factores que promovem a conversão dos cidadãos as diferentes denominações cujas práticas chocam com as culturas angolanas, bem como ajudar o executivo a encontrar os melhores caminhos com vista a normalização da sociedade, são outros resultados pretendidos.