Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

23 Outubro de 2011 | 13h50 - Actualizado em 23 Outubro de 2011 | 13h49

ACNUR e autoridades namibianas recomendam identificação de refugiados angolanos

Namíbia

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Windhoek - O ACNUR, a Embaixada de Angola e o representante do Ministério namibiano do Interior recomendaram a identificação documental dos cinco mil refugiados angolanos no Campo de Osire, para facilitar o seu retorno ao país ou a sua permanência legal na Namíbia.

Esta recomendação foi expressa sexta-feira numa reunião entre representantes destas três instituições que apontam a emissão de bilhetes de identidade e passaportes angolanos para osrefugiados.

Segundo o representante do Ministério do Interior, Mwachilenga kruma, é urgente o Governo Angolano tratar dos Bilhetes de Identidade e Passaportes dos Refugiados que em Dezembro serão repatriadoss.

Aos que de livre vontade permanecerem na Namiba terão necessariamente que ser entregues passaportes, sob pena de ficarem em situação de ilegalidade.

A comissão tripartida marcou para 12 de Novembro a visita aos campos que albergarão os refugiados, nas provincias angolanas do Kuando Kubango, Bié e Huambo, onde vão constatar as condiçoes de acomodação. Oito refugiados deverão integrar a comitiva.

O representante do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), Lawrence Mgbangson, anunciou que a sua instituição arcará com as despesas dessa viagem em 80 por cento, ao passo que o Governo angolano deverá participar com o transporte.

Além dos representantes do ACNUR, do Ministério do Interior da Namíbia, do ministro conselheiro da Embaixada de Angola na Namíbia, Guido Castelo Branco, estiveram presentes a adida de imprensa e o terceiro-secretário da missão diplomática de Angola naquele país, Chana de Aragão e Cipriano Handuya, respectivamente, e o administrador do campo dos refugiados, Jackon Absolon.

Assuntos Angola  

Leia também