Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

13 Abril de 2012 | 01h02 - Actualizado em 13 Abril de 2012 | 01h02

Historial do Reino do Bailundo

Huambo

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar



Huambo - O reino do Bailundo, localizado na província do Huambo, continua a marcar a história e a tradição do povo angolano, 109 anos depois do seu aparecimento no mapa geográfico angolano.


Para marcar a sua trajectória, o Reino do Bailundo vai conhecer hoje, sexta-feira, o novo soberano, após a cerimónia de entronização de Armindo Francisco Kalupeteca "Ekuikui V", de 38 anos.


A história regista que o apogeu do Reino do Bailundo se deu durante o reinado de Ekuikui II, de 1876 a 1890. Mas, foi o Rei Katyavala I que fundou o reino, vindo das terras do Kwanza Sul com a sua família, quando habitou nas cercanias das montanhas de Halavala.


Antes do Século XVII, o reinado manteve-se à margem do domínio colonial. Só por volta de 1770/71 é que Portugal se instalou no Reino do Bailundo com a presença de um juiz. Em (1885) a colónia portuguesa já estava representada no reino com um capitão-mor. 


O rei Ekuikui II teve o cariz de diplomata exímio. Ousou evitar a guerra e incentivou a prática da agricultura na população, e durante o seu reinado o Bailundo não enfrentou grandes guerras. Depois da sua morte sugiram as grandes guerras que culminaram com a subjugação do Bailundo e de toda a região do Planalto Central, isso em 1902.


Nesse mesmo ano foi criado o Posto do Bimbe, a 16 de Julho, passando então a denominar-se Katapi e posteriormente Vila Teixeira da Silva.


Actualmente, o município do Bailundo conta com cinco comunas, Bailundo, Bimbe, Hengue, Lunge e Luvemba, ocupando uma superfície de 7 mil e 65 quilómetros quadrados.


Possui 573 aldeias e 79 Ombalas. No território do Bailundo abundam várias cadeias montanhosas, das quais se destacam as de Lumbanganda, Chilono, Nity e o morro do Halavala, onde jazem os restos mortais dos reis Katyava e Ekuikui, símbolos da resistência anti-colonial na região do Planalto Central.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também
  • 04/02/2019 17:54:35

    Central híbrida do Londuimbali em fase experimental

    Londuimbali - Duzentos e 50 quilowatts de energia eléctrica estão a ser produzidos em regime experimental, desde a semana passada, pela central híbrida do município do Londuimbali, na província do Huambo.

  • 04/02/2019 17:52:03

    Município do Huambo ganha equipamentos sociais

    Chipipa - Uma escola e um sistema de rega foram inaugurados hoje, segunda-feira, no município do Huambo, província com o mesmo nome, no quadro das comemorações do 58º aniversário do início da Luta de Libertação Nacional.

  • 02/02/2019 19:37:25

    Estudantes do ISP doam bens ao Lar Suku-Ondjali

    Caála - Estudantes do curso de pós-graduação em saúde do Instituto Superior Politécnico do município da Caála, província do Huambo, doaram hoje, bens de primeira necessidade e medicamentos ao lar de acolhimento infantil Suku-Ondjali.

  • 02/02/2019 00:45:55

    Energia eléctrica produzida em Laúca chega este ano ao Huambo

    Huambo - A província do Huambo vai passar a consumir, ainda este ano, energia eléctrica produzida na barragem hidro-eléctrica de Laúca, na província de Malange, anunciou, sexta-feira, o administrador regional da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade, Manuel de José Adão.