Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

13 Maio de 2012 | 12h56 - Actualizado em 13 Maio de 2012 | 14h02

Dom Franklim realça cultivo de virtudes no dia consagrado a Fátima

Religião

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Dom Franklim durante a tradicional homilia e a celebração do `13 de Maio´

Foto: Angop

Luanda - O arcebispo dom Damião Franklim exortou hoje, domingo, em Luanda, os crentes e a sociedade no geral, no sentido de primarem pela promoção de virtudes que influenciam uma convivência pacifica entre os irmãos.

Durante a tradicional homilia do 6º domingo da Páscoa e a celebração do "13 de Maio", Dia em que os católicos celebram a aparição da Nossa Senhora de Fátima aos três pastorinhas, disse que nesta data a sua mensagem apela o reforço da oração e a uma melhor "sintonia" com Deus.

Para o arcebispo, os cristãos e não só, devem mais do que nunca aplicar a palavra de Deus, para que os comportamentos diários menos dignos contra outrem sejam ultrapassados.

Nesta data em que inicia as comemorações do cinquentenário da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, onde decorreu a homilia, o prelado realçou a necessidade de se imitar cada vez mais o modo de viver que teve Maria, mãe de Jesus e de todos, suas virtudes de 

esperança, amor ao próximo, solidariedade e serenidade.

Perante o Cardeal Dom Alexandre de Nascimento, o arcebispo de Luanda chamou ainda atenção para com as responsabilidades baptismais e outros sacramentos, ao referir-se sobre os casos de aborto que se registam em todo mundo, sem no entanto avançar detalhes.

Por outro lado, falou da prática da arrogância por parte de muitos cidadãos, lembrando que tal atitude muitas as vezes leva a maus caminhos que acabam sempre por ferir outrem.

Dom Franklim em nome da igreja felicitou o frei Maiato, que neste dia completou 90 anos, período em que se manteve firme para com a sua vocação e a São Francisco de Assis, patrono dos capuchinhos.

"Apesar da sua idade com muito espírito de fé, está sempre disponível a partilhar experiências e atender todos aqueles que precisam do seu auxílio", reconheceu o arcebispo.