Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

25 Julho de 2012 | 15h38 - Actualizado em 27 Julho de 2012 | 11h00

Munícipes apelam melhoria no fornecimento de água em Cacolo

Lunda Sul

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Padre católico Hipólito Mavuzi

Foto: ANGOP

Lunda Sul - Moradores da sede municipal de Cacolo, 141 quilómetros a noroeste de Saurimo, na província da Lunda Sul, apelaram às autoridades locais maior celeridade na resolução do problema de fornecimento de água potável àquela circunscrição.

Segundo o cidadão José António, em declarações recentemente à imprensa, em Cacolo, a situação mais preocupante na circunscrição é o da distribuição de água.

Explicou que o município não tem água corrente e que a população é muitas vezes forçada a percorrer alguns quilómetros para abastecer-se do líquido a partir do rio.

Relativamente aos camiões cisternas que abastecem a população com o precioso líquido, disse que os mesmos enchem um recipiente de 200 litros por 300 kwanzas, mas que nem sempre aparecem.

Solicitou ao Executivo local que resolva esse problema o mais rápido possível, assim como fez com a questão da energia eléctrica, em que montou dois grupos geradores para abastecer a sede municipal.

Na mesma Senda, o padre católico Hipólito Mavuzi, da paróquia de Cacolo, realçou que quem vê hoje o município de Cacolo dá conta de que alguma coisa está a ser feita. “Havia muitas casas em ruínas e hoje vão surgindo novas moradias e instituições construídas de raíz”, disse.

Essas obras estão a trazer um impacto positivo na vida da população local, pois há melhoria das condições de acomodação, acrescentou, frisando que falta resolver o problema da falta de abastecimento de água.

“A água aqui é um problema, a população tem que percorrer alguns quilómetros até ao rio e as cisternas que as autoridades colocaram ao dispor da população são insuficientes”, elucidou.

Entretanto, o administrador adjunto de Cacolo, Zaione Muloueno, disse que estudos estão em curso para a resolução do problema de abastecimento de água.

Neste momento, as três comunas de Cacolo têm já sistemas de abastecimento de água a funcionar, inaugurados em 2011. Segundo adiantou, nestas localidades a água jorra sem sobressaltos.

“Vamos resolver o problema de abastecimento também na sede municipal. Os técnicos estão a trabalhar e a seu tempo essa questão estará ultrapassada”, garantiu o administrador adjunto de Cacolo.

O município de Cacolo tem cerca de 76 mil habitantes, repartidos pela sede e as comunas de Alto Chicapa, Cucumbi e Sassengue.

Leia também
  • 20/11/2018 16:25:49

    Despedimento sem procedimento disciplinar preocupa SIGT

    Saurimo - O despedimento sem procedimento disciplinar, assim como a falta de gozo de férias são aspectos que preocupam os Serviços Provinciais de Inspecção Geral do Trabalho na Lunda Sul (SIGT), informou hoje, terça-feira, na cidade de Saurimo (Lunda Sul), o chefe do sector, Abel Fidel.

  • 20/11/2018 15:15:33

    Autoridades encerram nove igrejas ilegais na Lunda Sul

    Saurimo - Nove igrejas foram encerradas, segunda-feira, em Saurimo, província da Lunda Sul, pelas autoridades policiais no âmbito da "Operação Resgate", devido às más condições e falta de segurança para realização de cultos.

  • 20/11/2018 15:08:46

    Justiça promove campanha "BI da Dipanda"

    Saurimo - A Delegação Provincial da Justiça na Lunda Sul está a promover, desde o dia 10 do mês em curso, uma campanha denominada "BI da Dipanda", no município de Saurimo (Lunda Sul), com o objectivo de atribuir e garantir a nacionalidade às crianças dos seis aos 17 anos de idade, de acordo com o estabelecido no artigo 32º da Constituição da República de Angola.

  • 20/11/2018 14:35:42

    Responsável apela ao hábito de pagamento de água

    Saurimo - o responsável da Comissão de Gestão da Empresa Provincial de Água e Saneamento, José Tcheleca, apelou hoje, terça-feira, em Saurimo (Lunda Sul), a população a ganhar o hábito de pagamento do consumo de água, com vista a acautelar as restrições no fornecimento deste bem.