Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

21 Julho de 2013 | 19h02 - Actualizado em 22 Julho de 2013 | 17h22

Bento Kangamba pede colaboração das igrejas para o desenvolvimento do país

Apelo

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda - O empresário Bento dos Santos Kangamba pediu hoje, em Luanda, a colaboração das igrejas no sentido de continuarem a contribuir no processo de desenvolvimento socioeconómico do país.

O empresário, que falava no Cine África, no município do Cazenga, para mais de dois mil crentes de diferentes igrejas filiadas no Movimento de Apoio Integrado (MAI), disse que a organização deve “empenhar-se na pacificação dos espíritos, evitando a confusão, difamação e calúnia”.

Pediu também aos fiéis a empenharem-se nos seus locais de serviço, como forma de participarem no progresso social do país.

“Cada um de nós deve trabalhar bem no sector em que está inserido, cultivando o bem-estar”, disse.

Bento Kangamba afirmou, durante a sua intervenção, que para o crescimento do país deve-se combater à calúnia, à inveja, à injustiça e todos procedimentos contrários a ética, no sentido de se humanizar a sociedade de acordo com os princípios cristãos.

“Amar o próximo é trabalhar na humanização das sociedades”, disse o empresário.

Por sua vez, o presidente do MAI, Mbombe Mofito, reafirmou à disposição da associação religiosa continuar a ter uma opinião forte, de modo a ser um agente dinamizador do desenvolvimento da sociedade e da preservação da paz no país.

“Nós cultivamos a paz e apoiamos o Governo em todas as suas acções que vão também de acordo com os princípios da palavra de Deus e, como igreja, estamos à disposição para apoiar o Governo em tudo que é para o bem da nação”, disse a entidade religiosa.

Mbombe Mofito é de opinião que as igrejas devem continuar a ser o grande parceiro do Governo, contribuindo para o bem e apostando na formação de consciências para a construção duma sociedade coesa, de paz e de concórdia social.

   

Assuntos Província » Luanda  

Leia também