Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

06 Setembro de 2015 | 13h22 - Actualizado em 07 Setembro de 2015 | 14h22

Angola: Peregrinação à Muxima representa turismo religioso - diz gestor hoteleiro

Muxima - A peregrinação ao Santuário da Muxima, sita na vila com o mesmo nome, município da Quiçama, a cerca de 120 quilómetros a leste da cidade capital, Luanda, representa actualmente um turismo religioso que deve se ter em conta, face a diversificação da economia angolana, admitiu hoje, domingo, um dos responsáveis hoteleiros desta circunscrição Jerónimo de Almeida.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Gestor hoteleiro, Jerónimo de Almeida

Foto: Lucas Neto

PEREGRINAÇÃO À MUXIMA 2015: Procissão de velas.

Foto: Lucas Neto

O responsável afirmou que a peregrinação à Muxima deve ser mais explorada, tendo em conta os encantos turísticos que tem o município, entre os quais uma fauna aquática e terrestre muito rica, através das belezas oferecidas pelo Rio Kwanza e suas margens, potenciado a diversificação da economia angolana.

 Segundo o gestor hoteleiro, o número de turistas e de peregrinos ultrapassou as expectativas, sendo que a sua hospedaria teve uma ocupação na ordem de duzentos hóspedes que alojaram-se nos quartos e quintal.

Um dos peregrinos que desfruta dos aposentos da referida hospedaria, Angelina António, de 57 anos de idade, metodista, deu a conhecer que a mesma possui boas condições de hospedagem, apesar da falta de qualidade dos seus funcionários.

Já Merlath Valentim  disse que se sente bem na sua tenda instalada no quintal da hospedaria, onde a água e energia eléctrica não faltaram, a par da outra unidade hoteleira ao lado, que teve sempre falta de luz durante os dois dias em que chegou na Muxima.

A Angop constatou que na localidade da Muxima apenas existem duas Unidades hoteleiras que representa uma exiguidade, para atender a demanda dos turistas e peregrinos aquando desta festa religiosa, que acontece habitualmente uma vez por ano.

Os serviços prestados por esta Unidade hoteleira são nomeadamente de restaurante, hospedagem e Turismo fluvial, este último constitui um novo pacote da casa em questão.

Relativamente a gastronomia oferecida aos turistas,  é baseada na comida típica africana da região como o bagre fumado com feijão de óleo de palma, o Cacusso grelhado, o maruvo bebida típica, entre outros.

  

Assuntos Sociedade   Turismo  

Leia também
  • 07/02/2019 18:48:21

    FGA apoia vítimas de acidente de viação

    Saurimo - Cinco pessoas vítimas de acidente de viação na província da Lunda Sul foram apoiadas pelo Fundo de Garantia Automóvel (FGA), com valores destinados a despesas do tratamento médico e de urna.

  • 07/02/2019 18:38:40

    Mais de 600 agregados familiares inquiridos sobre despesas e emprego

    Dundo - O Inquérito de Despesas, Receitas e Emprego em Angola (IDREIA) terminou quarta-feira, na vila mineira de Cafunfo, Lunda Norte, com a envolvência de 664 agregados familiares.

  • 07/02/2019 18:35:47

    ONG americana desenvolve campanha de combate contra a violência infantil

    Caála - Uma campanha massiva de prevenção e combate contra a violência infantil nos municípios do Huambo, Caála e Ecunha, foi lançada hoje pela Organização Não-Governamental (ONG) americana Visão Mundial, em parceria com o Instituto Nacional da Criança.

  • 07/02/2019 15:41:44

    Serviço de identificação civil ensaia novo modelo de atendimento

    Huambo - Um novo modelo de atendimento ao público está a ser ensaiado desde o inicio do ano, na província do Huambo, pelo serviço de identificação civil e criminal, para evitar que os utentes continuem a aglomerar-se nos postos de emissão de bilhetes de identidade e registo criminal.