Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

17 Fevereiro de 2017 | 15h03 - Actualizado em 17 Fevereiro de 2017 | 19h25

Bengo: MINARS anuncia implementação do Cadastro Social Único

Caxito - O Cadastro Social Único, a ser implementado, em breve, pelo Ministério da Assistência e Reinserção Social (MINARS), vai permitir ao Executivo conhecer o perfil dos seus beneficiários, nomeadamente, os mais vulneráveis, efectuar o registo e consolidação dos diferentes programas e, deste modo, gerir de forma mais criteriosa os recursos que aloca aos projectos da área social.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Ministro da Assistência e Reinserção Social, Gonçalves Muandumba

Foto: foto cedida

Bengo: Conselho Consultivo do MINARS

Foto: foto cedida

De acordo com o ministro da Assistência e Reinserção Social, Gonçalves Muandumba, que falava no Conselho Consultivo ordinário do seu pelouro, este sistema, que está em fase de criação, vai permitir ainda a uniformização da recolha, tratamento, gestão e divulgação da informação estatística, cuja fiabilidade deverá servir para a visualização dos resultados do impacto da intervenção social na melhoria do nível e qualidade de vida das pessoas nas comunidades.

O governante referiu que o Cadastro Social Único contribuirá para reduzir a dispersão de informações das acções, direcionar e racionalizar melhor os apoios e permitir que os novos programas e medidas de política sejam melhorados e desenhados em função das evidências.

“É importante aqui realçar que a dispersão de informações e evidências levam a entender que o investimento do Executivo na área social é reduzido, no entanto, analisadas as despesas do Estado no seu todo, damo-nos conta que os recursos alocados à protecção social de base são significativos, contrariamente à percepção comum”.

Gonçalves Muandumba explicou que neste patamar convergem ainda os diferentes programas desenvolvidos nos domínios da Saúde, Educação, Família, Agricultura, Comércio e outros, cujas despesas relativas ao OGE demonstraram, em 2016, estarem na ordem dos 50,2 porcento, perspectivando-se 53,5% para 2017, o que representa 5,19 porcento do Produto Interno Bruto (PIB).

Assuntos Província » Bengo  

Leia também