Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

14 Setembro de 2017 | 10h18 - Actualizado em 14 Setembro de 2017 | 10h17

Huíla: Minfamu persuade pais a assistir filhos

Lubango - Pelo 511 pais que haviam abandonado as suas famílias e deixado de prestar assistência aos filhos na Huíla foram dissuadidos pela direcção provincial da Família e Promoção da Mulher destas atitudes, em encontros de advocacia realizados nos últimos oito meses, revelou hoje, quinta-feira, no Lubango, a responsável do sector, Catarina Manuel Sebastião.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huíla: Catarina Manuel - directora provincial do MINFAMU

Foto: JOSÉ KRITHINAS

Segundo a fonte, com este trabalho, que inclui a sala de família do tribunal provincial, 511 crianças anteriormente rejeitadas, passaram a receber pensão de alimentos dos seus progenitores.

Em declarações à Angop, Catarina Sebastião, referiu que estas crianças fazem parte de um universos de 73 casos de reclamações apresentadas pelas mães dos menores junto do Minfamu e do tribunal, sendo que alguns casos foram resolvidos por conciliação e outros mediante medidas da justiça.

Comparativamente ao período anterior, a responsável adiantou ter havido um aumento de 23 casos de retoma da assistência, que perfazem o atendimento de queixas de um total de 52 mulheres.

Disse que, casos de falta de assistência alimentar por parte dos pais são frequentes na província da Huíla, mas a direcção da família e promoção da mulher tem sabido resolver, através do diálogo.

Catarina Manuel apelou aos responsáveis de famílias a evitarem esta prática, uma vez que as crianças são inocentes e não tem nada a ver com os problemas vividos entre os cônjuges.

No mesmo, a direcção da Família e Promoção da Mulher registou 173 casos de violência doméstica, mais oito em relação a igual período de 2016.

Assuntos Crime   Família   Província » Huíla  

Leia também