Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

03 Janeiro de 2018 | 23h51 - Actualizado em 03 Janeiro de 2018 | 23h51

Cuando Cubango: Promaica prioriza acções viradas para combate à violência doméstica

Menongue - Promover acções de sensibilização junto das comunidades para a redução significativa de casos de violência doméstica junto das famílias e não só, constitui uma das prioridades da direcção da Promaica na província do Cuando Cubango ao longo de 2018.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Cuando Cubango: Rua principal da cidade de Menongue

Foto: Armando Morais

Em entrevista hoje, quarta-feira, à Angop, o director diocesano da Promaica no Cuando Cubango, padre Filipe Samba, disse que constitui grande preocupação das mulheres as patologias sociais como a violência doméstica, delinquência juvenil, gravidez precoce, prostituição e tudo (…) quanto é nocivo à vida humana.

Para a sua redução, o sacerdote avançou que as mulheres congregadas no movimento irão, a partir dos próximos dias, desencadear uma série de actos de sensibilização da sociedade para a mudança de mentalidade, visando construir-se uma Angola mais próspera e harmoniosa.

As políticas para a redução destes fenómenos sociais, explicou o director, serão passadas durante as missas, encontros de reflexão, entre outros métodos viáveis para que as pessoas tenham novo rumo nos seus comportamentos menos dignos.

Filipe Samba considerou ainda ser necessário e com o envolvimento de toda a sociedade, com destaque para pais, encarregados de educação, as famílias, as igrejas, o combate contra o aborto, uma vez que os bispos católicos têm repetido anualmente, nas assembleias, para o referido combate.

“A igreja Católica, desde os tempos memoráveis, anda preocupada com aquilo que estraga o tecido familiar, pois que a família é o núcleo da sociedade e tem que se trabalhar com as famílias, para que delas saiam bons frutos”, realçou.

Sublinhou que se das famílias saírem bons frutos o país terá uma sociedade sã e uma Angola sã, para quem a violência doméstica, as gravidezes precoce, a violência sexual, são males que preocupam a igreja Católica, porquanto são atípicas para o africano.   

Disse que a Promaica, braço feminino da igreja Católica, movimento fundado por Dom Óscar Braga, então bispo da Diocese de Benguela, todos os anos reúne-se numa das dioceses em Angola, pelo que este ano a direcção nacional decidiu realizar tal evento em Menongue.

Esta reunião de balanço das actividades realizadas em 2017, prosseguiu, irá decorrer de 10 a 14 deste mês de Janeiro, com a participação de mais de 190 mulheres (delegadas diocesanas), que irão traçar estratégias para o combate à violência doméstica, entre outros males que enfermam a sociedade angolana.

A nível do Cuando Cubango a Promaica (Promoção da Mulher na Igreja Católica) conta com cinco mil membros e está representada em nove municípios daquela região, com o propósito de acrescer a cifra ao longo do ano em curso.

Leia também
  • 03/01/2018 18:44:19

    Jovens do Mucari recebem casas evolutivas

    Mucari - Vinte e quatro cidadãos, na sua maioria jovens de vários estractos socias, beneficiaram hoje, quarta-feira, no município de Mucari, de casas evolutivas, inseridas no projecto de combate à pobreza, que visa dar resposta às necessidades habitacionais de pessoas de baixa renda.

  • 03/01/2018 16:58:28

    Retrospectiva 2017: Melhora qualidade no Hospital do Cuando Cubango

    Menongue - O novo Hospital Geral do Cuando Cubango, de referência na região Sul do país, com assistência para serviços de hemodiálise, permitindo o tratamento de doentes em Menongue, capital da província, é um dos assuntos marcantes do ano findo.

  • 03/01/2018 15:09:02

    Conservatória do Uíge efectua mais de vinte mil assentos de nascimento em 2017

    Uíge - Vinte e quatro mil e 356 assentos de nascimentos, entre os quais 13 mil e 415 de menores, de zero aos cinco anos de idade, foram realizados durante o ano de 2017, pela Conservatória do Uíge, contra 10 mil e 503 outros de 2016, anunciou hoje (quarta-feira) o Conservador Provincial, Raúl Alfredo.