Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

14 Fevereiro de 2018 | 11h04 - Actualizado em 15 Fevereiro de 2018 | 10h48

Bispo Tocoista quer contributo da sociedade no combate à criminalidade

Luanda - O combate a criminalidade passa pela contribuição de todas as esferas da sociedade angolana, com destaque para os sectores social e produtivo, afirmou o bispo da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo, Afonso Nunes.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bispo da Igreja Tocoista, Afonso Nunes

Foto: Gaspar dos Santos

Ao intervir numa conferência de imprensa terça-feira para a apresentação do programa  comemorativo do centenário do profeta Simão Gonçalves Toco, a ter lugar em Maquela do Zombo, província do Uíge, o líder religioso afirmou que o combate aos crimes violentos deve começar no seio das famílias.

Na óptica do bispo Afonso Nunes, muitos pais deixaram de exercer o seu papel como  progenitores não prestando a devida atenção aos filhos na sua educação, tornando-os vulneráveis às influências negativas.

Apontou, de igual modo, a falta de emprego para a juventude e de melhorias nas políticas que incentivem o empreendedorismo como outras causas do elevado índice de crimes violentos que se registam nos últimos tempos.

 A fim de contribuir para o combate a este mal, o líder religioso apelou ao repatriamento de capitais angolanos que se encontram no estrangeiro,  o seu investimento no país com a criação de empreendimentos para a criação de novos postos de trabalho, assim como a reformulação do sistema bancário.

O líder religioso defendeu a necessidade dos bancos comerciais reformularem a sua forma de actuação para possibilitar aos cidadãos com poucos recursos financeiros recorrem a  empréstimos  bancários para a satisfação das suas necessidades.

“O actual sistema bancário na visão da igreja não satisfaz os verdadeiros anseios dos cidadãos, pois  não permite as pessoas com poucos recursos financeiros  pedir um empréstimo por exemplo para a compra de uma viatura ou de uma casa e ser paga a longo prazo, por essa razão deve ser reformulado”,  salientou.

Para o líder religioso é necessário criar as condições para que o sistema financeiro nacional trabalhe de forma regular, que permita aos estudantes financiar os seus estudos e posteriormente ter empregos estáveis para organizarem as suas vidas.

 As comemorações do centenário do profeta Simão Toco terão como destaque a realização de uma conferência internacional,  o lançamento da  primeira pedra do Mausoléu dedicado ao Profeta Simão Toco,  na localidade de Taia Maquela do Zombo, dando assim início a construção da cidade santa e posterior dignificação da circunscrição.

  

   

Assuntos Angola   Religião  

Leia também
  • 13/02/2018 14:44:19

    Conferência sobre Simão Toco no destaque do centenário

    Luanda - A realização da Conferência Internacional sobre a vida e obra do Profeta Simão Gonçalves Toco constitui o destaque do centenário do fundador da Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoista).

  • 12/02/2018 18:28:21

    Ursos e roupas interiores atraem atenção dos cidadãos para o "Dia dos Namorados"

    Luanda - Ursos de peluche, postais, bijutarias, roupas interiores sensuais e outros presentes, atraem a atenção dos cidadãos de Luanda que, mesmo num ano de crise financeira, querem viver o ?Dia dos Namorados?, que se assinala a 14 de Fevereiro, com intensidade, constatou hoje (segunda-feira) a Angop.

  • 09/02/2018 16:07:51

    Serviços aduaneiros travam entrada de nove quilogramas de cocaína

    Luanda - Nove quilogramas de cocaína provenientes do Brasil foram apreendidos, recentemente, no aeroporto 4 de Fevereiro, pela Delegação Aduaneira do Piquete do Terminal de Passageiros, em posse de dois passageiros de nacionalidade angolana e sul africana, que pretendiam introduzir no país, soube hoje, sexta-feira, a Angop.