Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

13 Novembro de 2018 | 16h37 - Actualizado em 13 Novembro de 2018 | 16h36

Executivo aposta na abertura e diversificação da Comunicação Social

Luanda - A criação de condições para que haja uma comunicação social aberta e diversificada em termos de conteúdos dos órgãos de comunicação social é um dos compromissos do Executivo, reafirmou hoje, terça-feira, o titular do sector, João Melo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Economista Carlos Rosado

Foto: JOAQUINA BENTO

Participantes da Mesa Redonda sobre " Boas Notícias "

Foto: JOAQUINA BENTO

Ao falar durante a mesa redonda sobre “boas notícias”, o ministro João Melo considerou que não é correcto que se exija certas responsabilidades pessoais, técnicas, éticas, deontológicas à imprensa pública e não se faça o mesmo em relação à privada.

Os excessos, segundo o governante, são de ponderar, quer sejam da imprensa pública como da privada, pois tudo que for excesso certamente será condenado.

Para o jornalista Reginaldo Silva, um dos quatro intervenientes da mesa redonda, não existem boas ou más notícias, facto que não compete ao jornalista, sendo o mais importante gerir a informação toda de acordo com a realidade do país e dos factos.

Opinião idêntica tem o director do semanário económico Expansão, Carlos do Rosado, que considera boa notícia aquela feita de acordo com as regras do jornalismo, que vai desde a recolha de informação até o trabalho de redacção.

Por sua vez, o director do Diário de Notícias de Portugal, Ferreira Fernandes, disse que não se deve confundir boas notícias com propaganda. A notícia boa deve ser uma obrigação a ser contada a nível dos órgãos de comunicação, uma vez que não precisa do lugar da má notícia, pois esta já tem o seu espaço cativo.

Sugeriu que é importante que os jornalistas angolanos abordem com maior profundidade aspectos sociais positivos, que possam ajudar a melhor informar e formar a sociedade.

Já para o engenheiro agrónomo Fernando Pacheco, o ambiente que se vive na comunicação social é o resultado do novo paradigma político no país, uma vez que o modo como se está a abordar a problemática da nação permitirá determinar outras conquistas para Angola no futuro.

A mesa redonda sobre “boas notícias” foi organizada pelo Ministério da Comunicação Social e contou com a presença do secretário de Estado da Comunicação Social, Celso Malavoloneke, presidentes dos Conselhos de Administração de órgãos do sector, administradores, jornalistas, estudantes de jornalismo, entre outros convidados.

Leia também
  • 04/02/2019 22:16:51

    Associação planta mais de 600 árvores na Banga

    Banga - Pelo menos 650 espécies de árvores ornamentais e fruteiras foram plantadas esta segunda-feira, na vila da Banga, sede do município com o mesmo nome, província do Cuanza Norte, numa acção da associação dos naturais e amigos da localidade, Anabanga.

  • 04/02/2019 17:52:09

    Serviços de saúde mais próximo dos habitantes de Ngola Luije

    Malanje - Um centro de saúde, com serviços de pediatria, medicina, pré-natal e parto, foi inaugurado hoje (segunda-feira), na comuna de Ngola Luije, município de Malanje, visando aproximar os serviços sanitários à população.

  • 04/02/2019 17:52:03

    Município do Huambo ganha equipamentos sociais

    Chipipa - Uma escola e um sistema de rega foram inaugurados hoje, segunda-feira, no município do Huambo, província com o mesmo nome, no quadro das comemorações do 58º aniversário do início da Luta de Libertação Nacional.

  • 03/02/2019 16:23:36

    Empresário português morto por meliantes em sua residência

    Malanje - O cidadão de nacionalidade portuguesa, empresário do ramo hoteleiro, Adérito Florêncio Teté, de 78 anos de idade, foi morto na madrugada deste domingo por meliantes no interior da sua residência, nesta cidade.