Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

07 Dezembro de 2018 | 14h37 - Actualizado em 07 Dezembro de 2018 | 14h36

Responsável advoga criação de mais centros de acolhimento

Luanda - A criação ou o reforço de centros de acolhimento para o acompanhamento psicos-social para crianças, adolescentes e jovens que vivem na rua, foi defendida hoje, sexta-feira, em Luanda, pelo responsável do Lares Dom Bosco, Adjaime de Freitas Cadete.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

De acordo com ele, que falava na apresentação de um estudo focado em meninas que vivem na rua do projecto "Vamos juntos", da organização Volutariado Internacional pelo Desenvolvimento (VIS), o Estado deve reconhecer a realidade e considerar como um problema social.

"Pode-se implementar estratégias concertadas com organizações da sociedade civil, implementar nas estruturas das autoridades locais a integração e consolidação orçamental de programas de protecção da criança da rua, através de acções focalizadas na promoção dos seus direitos", disse.

Adjaime de Freitas Cadete defendeu igualmente a criação de uma base de dados única de vulnerabilidade a nível provincial e nacional, que permita às organizações que trabalham na rua e às instituições de acolhimento coordenarem e cooperarem, para além de monitorar o fenómeno.

Considerou de relevante a coordenação entre todos os actores de protecção e a criação de protocolos entre instituições públicas, associações locais e organizações da sociedade civil.

"Acreditamos que a criação de uma estratégia de acção conjunta entre a polícia, o Masfamu, o INAC e a sociedade civil, sejam uma das prioridades para garantir a protecção da criança em situação de rua", frisou.

Co-financiado pela União Europeia, com a colaboração dos Salesianos de Dom Bosco, da Samusocial Internacional e do Instituto de Ciências Religiosas de Angola (ICRA), o estudo aponta que 465 crianças, dos 10 aos 25 anos de idade, vivem em várias artérias da cidade capital.  

Assuntos Criança   Sociedade  

Leia também
  • 07/02/2019 01:26:31

    Restos mortais de empresário português transladados para Portugal

    Malanje - Os restos mortais do empresário português Adérito Teté, morto na madrugada de domingo (3) por meliantes no interior da sua residência, na cidade de Malanje, foram transladados quarta-feira para Luanda, a fim de seguirem para Portugal, onde serão sepultados, soube Angop.

  • 06/02/2019 11:16:38

    Acidentes de viação causam 92 mortes em 12 meses no Cuanza Norte

    Ndalatando - Noventa e duas pessoas morreram e 523 ficaram feridas em consequência de 383 acidentes de viação registados entre Janeiro a Dezembro de 2018 no Cuanza Norte, informou o Comando Provincial da Polícia Nacional.

  • 05/02/2019 17:25:45

    Escolas de condução de Malanje sem equipamento multimédia

    Malanje - As escolas de condução da província de Malanje carecem de equipamento multimédia para as aulas e os exames teóricos de condução, sistema que facilita o trabalho dos instrutores, assim como garante mais destreza e conhecimento aos alunos.

  • 05/02/2019 16:06:23

    Militar das FAA morto a tiro na Matala

    Matala - Um militar das Forças Armadas Angolanas (FAA), de 37 de anos de idade, afecto ao Batalhão de Logística, foi morto a tiro, domingo (3), por meliantes ainda não identificados, no bairro Calumbiro, no município da Matala, província da Huíla.