Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

16 Abril de 2018 | 13h35 - Actualizado em 16 Abril de 2018 | 13h35

Suposto agente da fiscalização condenado a cinco meses de cadeia

Luanda - O Tribunal Municipal da Ingombota condenou, na última sexta-feira, a cinco meses de prisão, um homem que se fazia passar por agente da fiscalização no distrito urbano do Rangel, município de Luanda.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O chefe da repartição da fiscalização do distrito urbano do Rangel, Paulo Diogo, explicou que o cidadão de nome Fernando dos Santos, usava de forma ilegal um colete e a fita que habilita o exercício de actividade de fiscalização no distrito do Rangel.

Em declarações hoje à Angop, Paulo Diogo explicou que a sua área identificou, na última quinta-feira, o homem uniformizado com o colete de fiscalização com dizeres do governo da província a indicar que está credenciado para trabalhar nesta localidade.

Paulo Diogo acrescentou que o colete era do tempo do governo da província, antes da nova divisão administrativa, apenas a fita e a cor iam de encontro com as utilizadas pelos órgãos dependentes da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda.

Disse que a detenção foi possível porque o falso agente da fiscalização circulava próximo da repartição do Rangel e os efectivos em serviço o questionaram sobre a proveniência dos meios que usava.

Paulo Diogo reconheceu que tem recebido muitas reclamações por parte de proprietários de estabelecimentos comerciais e até vendedores ambulantes, sobre a cobrança de valores monetários por parte de fiscais, até mesmo em locais onde a repartição não tem destacado efectivos.

Por este motivo, prosseguiu, a fiscalização apela as pessoas, em caso de má actuação dos fiscais, que peçam uma notificação e não efectuar pagamentos no local da infracção, para então poder localizar os fiscais que assim procedem.

“A repartição da fiscalização tem recebido diversas reclamações de cobranças de fiscais, principalmente na área da gajajeira, por isso é importante pedir sempre uma notificação para em caso de pagamento de qualquer multa seja feita no balcão da administração do Rangel”, esclareceu.

 O Rangel tem um território estimado em 6,2 quilómetros e mais de 261 mil habitantes, distribuído pelos bairros do Rangel, Marçal e Terra Nova (sede distrital).

O distrito é limitado a Oeste pelo distrito da Ingombota, a Norte pelo Sambizanga, a Este o município do Cazenga e a Sul pelo distrito da Maianga e do Neves Bendinha.

Leia também