Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

11 Julho de 2018 | 13h53 - Actualizado em 11 Julho de 2018 | 13h53

Polícia apresenta supostos assassinos de Carlos de Oliveira

Luanda - Três cidadãos angolanos, acusados de terem morto a tiro Carlos Albano de Oliveira, no dia 24 de Junho, no interior da sua residência, no bairro Mundial, município do Belas, foram apresentados hoje (quarta-feira), em Luanda, à imprensa pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Logotipo da Polícia Nacional

Foto: Google/Divulgação

Para além dos supostos assassinos terem morto o homem, violaram sexualmente a esposa da vítima na presença dos filhos menores. Inicialmente Carlos de Oliveira foi atingido com uma bala e reagiu quando viu a esposa a ser violada, e em função da sua atitude um dos marginais efectuou o segundo disparo, causando a morte do indivíduo.

Com a detenção dos três suspeitos, o SIC conseguiu esclarecer 20 outros crimes praticados pelo mesmo trio, onde constam os roubos seguidos de violações sexuais, inclusive a menores de idade.

Em declarações à imprensa, o director do gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa da delegação provincial do Ministério do interior, Mateus Rodrigues, referiu que os detidos confessaram que circulavam, de forma ocasional, pelo bairro e pelas características da residência elegeram a mesma para o cometimento do crime.

Quanto aos grupos criminosos supostamente de nacionalidade congolesa que realizam actos delituosos no município do Cazenga, o intendente disse que em função dos relatos criminais naquele município, a Polícia Nacional está a fazer um trabalho para repor a ordem e tranquilidade.

Durante a operação, realizada entre 21 de Junho até 10 deste mês, o SIC deteve 75 cidadãos suspeitos da prática de crimes diversos, com destaque para o roubo de viaturas, motorizadas, valores monetários, burla, falsificação de moeda estrangeira, violações sexuais e posse ilegal de arma de fogo.

Foram apreendidas 24 armas de fogo de diferentes calibres e recuperadas 11 viaturas, das quais duas foram já entregues aos respectivos proprietários.

Questionado sobre as acusações da família de Lucas Chivukuvuku, Mateus Rodrigues referiu que não há o que comentar, “são factos, a polícia apresentou uma informação e estão a contrapor a informação da Polícia. É um pouco estranho, porque os familiares não são peritos criminais”.

Segundo o oficial, a interpretação do resultado de investigação criminal cabe a peritos criminais e a Polícia Nacional já passou o caso para o Ministério Público.

Leia também
  • 11/11/2018 04:35:37

    Grande reportagem " Andar Luanda " produziu mais de duzentas notícias

    Luanda - Duzentos e trinta e seis materiais noticiosas foram produzidas em quatro dias pelos jornalistas, que integraram o projecto jornalístico grande reportagem " Andar Luanda ", promovido pela emissora radiofónica privada LAC.

  • 08/11/2018 16:52:22

    Índice de criminalidade aumenta no Bié

    Cuito - Duzentos e setenta e quatro crimes foram registados no Bié, durante o mês de Outubro do ano em curso, contra 208 casos do período anterior, mais 66 delitos em relação a igual período anterior, informou hoje, no Cuito (Bié), o comandante provincial da Policia Nacional, comissário António Vicente Gimbe.

  • 05/11/2018 13:45:15

    Mais de 10 pessoas morrerm no fim de semana prolongado em Luanda

    Luanda - Treze pessoas morreram e 20 ficaram feridas em consequência de 28 acidentes de viação registados em Luanda, no fim-de-semana prolongado, pelo Comando Provincial da Polícia Nacional (PN).

  • 05/11/2018 11:03:49

    Crimes contra pessoas lideram gráfico criminalístico

    Mbanza Kongo - Oito crimes contra as pessoas, consubstanciados em ofensas corporais por disparo com arma de fogo, homicídio qualificado e violação sexual de menor de doze anos lideraram o gráfico criminalístico do Comando Provincial do Zaire da Polícia Nacional, nos últimos sete dias.