Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

09 Setembro de 2018 | 01h01 - Actualizado em 08 Setembro de 2018 | 23h51

Cunene: Ondjiva sem cinema há 28 anos

Ondjiva - Há 28 anos que a cidade de Ondjiva, província do Cunene, não dispõe de um cine, pois o único que existia as infra-estruturas encontram-se degradadas, apurou, sábado, à Angop no local.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Cunene:Cine Pedro Paz

Foto: José Cachiva

O único cine Pedro Paz, encontra-se em total ruína. Foi construído na década de sessenta, na cidade Ondjiva, antes da Independência Nacional e funcionou até 1980. Neste período teve ainda obras de restauro por ordem do então comissário do governo provincial do Cunene, Ary da Costa e anos depois conheceu paragem por causa da invasão das tropas Sul-africanas na altura.

Com o fim da invasão em 1987,  o cine retomou o seu funcionamento até 1990 e nunca mais abriu as portas.

O cine que agora é propriedade privada, encontra-se em estado de abandono e degradado, sem cobertura, portas e janela. O pavimento esta a destruír e apresenta fissuras nas paredes.

Numa ronda feita pela à Angop nos arredores de Ondjiva, os citadinos manifestaram descontentamento pelo estado actual do cine Pedro Paz e solicitaram a sua recuperação, sendo que a cidade carece de espaço para lazer e entretenimento.

Adelina Francisca, professora do ensino médio, considerou que é necessário um cine na cidade de Ondjiva para aumentar a escolha quanto aos locais de lazeres.

O funcionário público, Guilherme Paulo disse não ter memória do funcionamento do cine que está a se degradar, mas sabe por meio dos seus pais que Pedro Paz já foi um local de muita interacção e lazer.

 O aposentado, Jacinto Aufico, hoje com  65 anos de idade, disse que o cine Pedro Paz foi  na altura como um centro social  e  além da exibição de filmes tinha outras utilidades no contexto da interacção entre as pessoas e hoje lamenta-se ver o avançado estado de degradação em que se encontra.

Julieta da Fonseca, doméstica, considerou que seria bom ter um cine na cidade de Ondjiva,  e apelou ao empresariado local a  fazer investimentos.

Quem partilha da mesma opinião é o técnico de informática, Mateus Oliveira, referindo que já é momento de Ondjiva ter um cine em funcionamento, indicando que o aproveitamento das infra-estruturas antigas seria bom começo.

Assuntos Província » Cunene  

Leia também
  • 05/02/2019 12:13:18

    Hospital missionário ganha novos espaços

    Ondjiva - Um centro de tratamento de tuberculose, uma morgue e sete casas para médicos, do tipo T1 e T2, construídos de raíz, afecto ao hospital missionário do Chiulo, no município de Ombadja, província do Cunene, foram inaugurados segunda-feira, pelo governador local, Virgílio Tyova.

  • 31/01/2019 17:46:22

    Responsável aponta medidas para reduzir impacto da seca no Cunene

    Ondjiva - O desassoreamento dos rios, construção de canais de irrigação e chimpacas são algumas das soluções indicadas pelo director provincial em exercício do Gabinete do Ambiente do Cunene, Tchingungo Contreiras, para minimizar o impacto da seca que regulamente afecta a circunscrição.

  • 29/01/2019 13:28:09

    Seca no Cunene requer soluções imediatas

    Ondjiva - A situação da seca na província do Cunene requer soluções concretas e imediatas para acudir à população afectada pela carência de água, referiu hoje, terça-feira, o ministro da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida, em Ondjiva.

  • 29/01/2019 12:38:48

    Governo assegura apoio alimentar às pessoas afectadas pela seca

    Ondjiva - Duzentas e 84 mil e 780 pessoas na província do Cunene afectadas pela seca vão beneficiar, dentro de dias, de assistência alimentar, anunciou hoje, terça-feira, em Ondjiva, o Secretário de Estado para Acção Social, Lúcio do Amaral.