Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

04 Setembro de 2018 | 11h57 - Actualizado em 04 Setembro de 2018 | 11h57

Falta de água condiciona abertura do centro de reabilitação

Caxito - O centro de reabilitação de toxicodependentes, na província do Bengo, inaugurado em Fevereiro deste ano, continua fechado, agora por falta de água.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Centro de reabilitação de toxicodependentes no Bengo

Foto: Foto cedida

Em declarações à Angop, a directora do Instituto Nacional de Luta contra Drogas, Ana Graça, instituição que tutela o centro, explicou que o edifício era abastecido por uma conduta da EPAL, que foi desviada por um suposto oficial superior das Forças Armadas Angolana (FAA).

Segundo Ana Graça, o suposto general interrompeu o fornecimento de água ao Centro, alegando ser o dono da conduta.

Ana Graça disse ter já contactado a EPAL, mas até agora não há solução para o problema.

“O centro pela sua dimensão e importância na sociedade, não pode funcionar sem água, porque as pessoas que estarão internadas necessitam de água”, ressaltou.

Lembrou que a abertura do centro de reabilitação de toxicodependentes estava condicionada a construção do muro de vedação, que já foi erguido nos últimos meses.

A construção do centro de reabilitação de toxicodependentes custou 20 milhões de dólares dos cofres do Estado angolano, instituição que deveria abrir as portas ao público no mês de Março do corrente ano, mas até ao momento continua encerrado.

O edifício com capacidade para albergar 60 pacientes, comporta áreas de serviços de apoios, educação, saúde, dormitórios, salas de aulas, cozinha, quadra desportiva, capela e zona de recreação.

Para aderir ao centro, de acordo com Ana Graça, os interessados deverão fazer a sua inscrição no Instituto Nacional de Luta contra Droga (gestor do espaço), tendo sublinhado que sua instituição dispõe de uma lista que depois será feita triagem.

Fez saber que as condições estão todas criadas para albergar os pacientes toxicodependentes, mas devido a falta de água tudo fica paralisado.

O centro construído pelo governo é uma parceria pública ou privada onde os pacientes interessados deverão comparticipar financeiramente pelos serviços.

De acordo com a directora do Instituto Nacional de Luta contra Droga, o centro está vocacionado à regeneração física e psíquica dos cidadãos consumidores de drogas, constituindo, deste modo, um projecto com muitas valências para a sociedade.

Assuntos Província » Bengo  

Leia também