Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

05 Setembro de 2018 | 17h45 - Actualizado em 05 Setembro de 2018 | 17h45

Lei a ser revisada deve definir permissões e proibições da liberdade religiosa

Luanda - Definir em concreto o conteúdo negativo e positivo da liberdade religiosa, ou seja, o que é permitido e proibido no âmbito do exercício da liberdade religiosa, caso a Lei nº 2/04, de 21 de Maio seja revisada, é uma das propostas apresentada hoje, quarta-feira, pelo director do Instituto Nacional dos Assuntos Religiosos(INAR), Castro Maria.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Fiéis durante uma Missa

Foto: Angop/Arquivo

O director falava numa conferência de imprensa realizada no Centro de Imprensa Anibal de Melo, para clarificar os princípios, procedimentos e actos inerentes ao exercício da liberdade de religião, culto e crença.

Castro Maria disse que todas comissões recomendaram a urgente revisão da Lei nº 2/04, de 21 de Maio, sobre a liberdade de consciência, culto e de religião que foi confiado por um grupo Técnico Multissectorial e multidisciplinar.

O Artigo 2º, alínea 1, do mesmo diploma, dispõe que a presente Lei aplica-se a todos cidadãos nacionais, estrangeiros residentes, bem como às confissões religiosas legalmente reconhecidas, em todo território nacional.

Assim como a de liberdade de religião, crença e culto, abrange a liberdade de mudar de religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou colectivamente, em público ou em particular.

O responsável admitiu a necessidade de se redefinir os princípios relativos ao exercício da liberdade de religião, crença e culto, em consonância com a Constituição e outras convenções internacionais sobre a matéria.

O director do Gabinete Jurídico do Ministério da Cultura, Aguinaldo Cristóvão, sugeriu a necessidade do trabalho de denúncia por parte dos cidadãos e líderes religiosos para ajudar o Governo na regulação da actividade religiosa.

Assuntos Religião   Sociedade  

Leia também
  • 05/09/2018 15:48:38

    Proposta Ordem de teólogos e pastores angolanos

    Luanda - A constituição de uma Ordem de Teólogos e Pastores de Angola (OTPA), que visa apoiar o estado e os líderes na apreciação da instrução de teólogos e pastores angolanos, foi apresentada hoje, quarta-feira, em Luanda.

  • 05/09/2018 14:01:59

    Defendido reforço dos ADECOS nas comunidades

    Malanje - Com vista a contribuir na resolução dos problemas sociais e sanitários das comunidades, o director do gabinete provincial da saúde, Avantino Sebastião, defendeu hoje, quarta-feira, no município de Kiwaba Nzoji, reforço da integração e aproximação dos ADECOS (Agentes de Desenvolvimento Comunitários e Sanitários) nas comunidades.

  • 05/09/2018 13:46:07

    Falta de investimentos condiciona qualidade da água

    Luanda - A distribuição de água à população angolana em condições precárias, em termos de fornecimento regular e a falta de qualidade, estão condicionados à carência de investimentos no sector, esclareceu hoje, quarta-feira, em Luanda, o director nacional das águas, Lucrécio Alexandre Manuel da Rocha.