Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

05 Setembro de 2018 | 17h45 - Actualizado em 05 Setembro de 2018 | 17h47

Responsável sugere definição de permissões e proibições da liberdade religiosa

Luanda - Definir em concreto o conteúdo negativo e positivo da liberdade religiosa, ou seja, o que é permitido e proibido no âmbito do exercício da liberdade religiosa, caso a Lei nº 2/04, de 21 de Maio seja revisada, é uma das propostas apresentada hoje, quarta-feira, pelo director do Instituto Nacional dos Assuntos Religiosos(INAR), Castro Maria.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Fiéis durante uma Missa

Foto: Angop/Arquivo

O director falava numa conferência de imprensa realizada no Centro de Imprensa Anibal de Melo, para clarificar os princípios, procedimentos e actos inerentes ao exercício da liberdade de religião, culto e crença.

Castro Maria disse que todas comissões recomendaram a urgente revisão da Lei nº 2/04, de 21 de Maio, sobre a liberdade de consciência, culto e de religião que foi confiado por um grupo Técnico Multissectorial e multidisciplinar.

O Artigo 2º, alínea 1, do mesmo diploma, dispõe que a presente Lei aplica-se a todos cidadãos nacionais, estrangeiros residentes, bem como às confissões religiosas legalmente reconhecidas, em todo território nacional.

Assim como a de liberdade de religião, crença e culto, abrange a liberdade de mudar de religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou colectivamente, em público ou em particular.

O responsável admitiu a necessidade de se redefinir os princípios relativos ao exercício da liberdade de religião, crença e culto, em consonância com a Constituição e outras convenções internacionais sobre a matéria.

O director do Gabinete Jurídico do Ministério da Cultura, Aguinaldo Cristóvão, sugeriu a necessidade do trabalho de denúncia por parte dos cidadãos e líderes religiosos para ajudar o Governo na regulação da actividade religiosa.

Assuntos Religião   Sociedade  

Leia também
  • 07/09/2018 05:01:29

    Troço Quilombo dos Dembos/Golungo Alto em obras

    Quilombo dos Dembos- O troço rodoviário de 25 quilómetros que liga vila de Quilombo dos Dembos, município de Ngonguembo, ao Golungo Alto, província do Cuanza Norte, está a beneficiar de obras de terraplanagem, desde Agosto último.

  • 07/09/2018 00:46:19

    Posto de saúde do Mussusso encerrado por falta de enfermeiros

    Quilombo dos Dembo - O posto de saúde do sector de Mussusso, comuna de Camame, município de Ngonguembo, Cuanza Norte, está encerrado há mais de cinco meses por falta de enfermeiros soube-se nesta quinta-feira.

  • 06/09/2018 19:48:37

    Habitantes de Penda e Demba querem reabilitação da estrada

    Uíge - A população das regedórias de Penda e Demba, na comuna de Quinvuenga, município do Songo (Uíge), está a enfrentar muitas dificuldades para o escoamento dos produtos das suas localidades para a sede municipal e grandes cidades, a fim de serem comercializados devido a degradação da estrada.

  • 06/09/2018 17:26:04

    Enaltecido empenho dos profissionais da ANGOP

    Luena - O empenho dos profissionais da Agência Angola Press (ANGOP), nas actividades de informar e formar a população angolana, foi hoje, quinta - feira, no Luena, enaltecido pelo Grupo Coral Ecuménico de Angola, por contribuir no desenvolvimento do país.