Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

12 Outubro de 2018 | 12h55 - Actualizado em 12 Outubro de 2018 | 12h55

Reposição de energia eléctrica à cidade do Sequele prevista para sábado

Luanda - A reposição da energia eléctrica à cidade do Sequele, município de Cacuaco, será feita no próximo sábado, depois da substituição da torre de alta tensão de transporte de energia eléctrica que foi vandalizado na noite da última quarta-feira.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Centralidade do Sequele

Foto: Alberto Julião

Segundo o porta-voz da Empresa de Distribuição de Electricidade (ENDE), Pedro Bila, em declarações à Angop hoje, sexta-feira, os técnicos já substituíram a torre de alta tensão vandalizada por desconhecidos.

Pedro Bila disse que neste momento aguarda-se pela solidificação da base da torre chumbada com cimento para dar o início a montagem das linhas e outros componentes.

Devido aos trabalhos, prosseguiu o responsável, está condicionada a circulação rodoviária na Avenida Fidel Castro entre o troço do SIAC e as bombas da Sonangol.

“ Tudo está a ser feito no sentido de repormos o fornecimento de energia eléctrica a Centralidade do Sequele e arredores até sábado”, afirmou.

Por sua vez, o porta-voz da delegação de Luanda do Ministério do Interior (MININT), intendente Mateus de Lemos Rodrigues, pede a população que denunciem todos os  actos de vandalismo contra os bens públicos, que nos últimos dias tem se registado com muita frequência,

Cidadãos desconhecidos removeram as travessas de sustentação da torre o que fez com que a torre perdesse a consistência e ao tombar repuxasse as linhas condutoras de energia eléctrica para a subestação do Sequele, provocando a suspensão do fornecimento da energia.

Devido a acção, cerca de 12 mil clientes da ENDE estão privados de electricidade.

Autoridades angolanas admitem a possibilidade da existência de redes de malfeitores devidamente organizada que se dedicam ao roubo e a comercialização de material de cobre que sustentam as torres instaladas nas diversas linhas em Luanda.

Leia também