Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

08 Novembro de 2019 | 16h47 - Actualizado em 08 Novembro de 2019 | 17h26

DNVT regista 31 acidentes/dia nas estradas nacionais

Luanda - O país regista, diariamente, 31 acidentes, com maior incidência nas províncias de Luanda, Benguela, Huambo, Malanje, Bié, Lunda Sul e Lunda Norte.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

ACIDENTE DE VIAÇÃO

Foto: LINO GUIMARÃES

Dados disponibilizados pela Direcção Nacional de Viação e Transito (DNVT) indicam que, fruto dos acidentes em causa, diarimente, são registadas sete mortes e 34 feridos.

A DNVT, de acordo com o superintendente António Pinduka, registou, no período de Janeiro a Setembro do ano em curso, 7 mil 839 acidentes nas estradas nacionais, que provocaram mil e oitocentos e cinquenta e nove mortes e 8 mil 262 feridos.

Em relação ao mesmo período de 2018, apesar de ter havido uma diminuição de 162 acidentes, houve um aumento na ordem de 83 óbitos.

A corporação aponta, como uma das causas do aumento do número de mortes, a demora na prestação dos primeiros socorros aos sinistrados.

Já em relação aos feridos, a DNVT registou igualmente uma redução de 222 afectados.

O oficial da Polícia Nacional, que falava na apresentação pública do programa das actividades em Memória às Vítimas das Estradas, destacou como causa principais dos acidentes a falta de iluminação, o mau estado técnico dos veículos, vias degradadas e o desrespeito as regras de trânsito.

 “A sinistralidade tem a ver com a nossa forma de conduzir. Há uma fraca qualidade dos nossos condutores, há um nível bastante elevado de desrespeito e não cumprimento do código de estrada. Em Angola se faz uma condução ofensiva e não defensiva”, frisou.   

No entanto, o oficial apontou também o dedo aos peões, cujo comportamento, nas estradas, colocam em perigo às suas vidas e dos demais usuários das vias rodoviárias, com travessias em locais impróprios, muitas das vezes não utilizando as pedonais e as passadeiras.

Para combater os maus hábitos no sistema rodoviário angolano, de acordo com o responsável, têm sido promovidas acções de prevenção e sensibilização, com a distribuição de cartilhas e palestras envolvendo peões e condutores.

Por seu turno, a sub-comissária Madalena Dias dos Santos referiu que a sinistralidade

tem fortes implicações políticas, económicas e sociais e constitui a segunda causa de morte em Angola entre jovens dos 10 aos 24 anos de idade.

Para sensibilizar a sociedade sobre o elevado índice de mortes nas estradas, a DNVT realiza no dia 17 do mês em curso uma marcha em solidariedade às vítimas da estrada, em alusão ao Dia Mundial em Memória às Vítimas da Estrada.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as projecções indicam que, se não houver tomada de medidas, os números de acidentes podem aumentar 65 por cento nos próximos 20 anos.  

Assuntos Angola  

Leia também
  • 07/11/2019 18:04:07

    PR valoriza mérito da mulher

    Luanda - O Presidente da República, João Lourenço, reconheceu, nesta quinta-feira, o contributo de mais de uma dezena de mulheres angolanas na conquista da independência e na afirmação da cultura e do desporto nacional.

  • 07/11/2019 16:03:23

    Cidadã detida por colocar criança em risco vida

    Luanda - Uma cidadã, moradora da centralidade Vida Pacífica (Zango Zero), foi detida na quarta-feira, pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC), por determinação da Procuradoria-Geral da República, por colocar em risco a vida de uma criança de sete anos.

  • 04/11/2019 22:21:47

    Empresa de águas do Lobito refuta acusações do SPCB

    Luanda - A Empresa de Águas e Saneamento do Lobito (EASL-EP) refutou, nesta segunda-feira, ter recusado abastecer as viaturas do Serviço Provincial de Protecção Civil e Bombeiros (SPCB) envolvidas nas acções de extinção do incêndio na farmácia do Hospital Regional do Lobito.