Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

18 Novembro de 2019 | 14h49 - Actualizado em 18 Novembro de 2019 | 17h24

Bombeiros analisam perfil de riscos de desastres

Luanda- A avaliação e análise de risco, planeamento em redução, gestão e perfil de risco de desastres, protecção civil em Angola e a nível internacional está a ser feita desde esta segunda-feira, em Luanda, numa iniciativa do Serviço de Protecção Civil e Bombeiro (SPCB).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Efectivos do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros no Namibe

Foto: Clemente Ndala

A acção, que acontece por ocasião da realização do primeiro encontro metodológico direccionado aos comandantes adjuntos para protecção civil e técnicos do (SPCB), vai avaliar também as necessidades pós desastres, danos e perdas, coordenação operacional e pacote mínimo inicial de serviços de saúde sexual e reprodutiva em situação de emergência.

O comandante do SPCB, Comissário Bombeiro Principal Bensau Mateus, disse que o novo posicionamento mundial em relação a redução de risco de desastres obriga-os a olhar para os métodos e práticas coerentes que proporcionam o dividendo da resiliência.

Referiu ser frequente nos últimos anos, no país, a observação do aumento dos impactos dos desastres de origem hidrometeorológica, devido ao aumento da exposição a ameaças, bem como do grau de vulnerabilidade das populações, dos bens económicos e sociais.

O responsável salientou haver necessidade de se aliar às metodologias aplicadas na elaboração e implementação de estratégias, promovendo o desenvolvimento de abordagem de redução de risco de acidentes, face as acções de prevenção, preparação, resposta e recuperação aos desastres, com ferramentas capazes de promover medidas que ajudem a soluciona-los.

Por ser chamado primeiramente o SPCB para as acções de prevenção e resposta, Bensau Mateus considerou ser imperativo a uniformização da abordagem destas matérias, focalizando, fundamentalmente, o quadro directivo do desenvolvimento a nível das províncias.

Segundo o oficial, o SPCB, em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a População, tem levado acabo programas que visam a implementação e o cumprimento dos instrumentos internacionais, no quadro da estratégia regional para a redução de risco de desastres em África 2015-2030.

Bensau Mateus espera que este evento permita identificar e analisar as características dos vários métodos utilizados e aplicados, que ajudarão a avaliar capacidades, limitações e criticar os pressupostos daqueles que carecem de melhoria, dentro dos paradigmas mundiais em matérias de gestão do risco de calamidade.

A formação, que vai decorrer por cinco dias, conta com a participação de 50 efectivos do SPCB, com o objectivo de aumentar o conhecimento sobre as metodologias de trabalho, o envolvimento e engajamento dos comandantes provinciais adjuntos para protecção civil, por meio de uma melhor consciencialização sobre ferramentas de informação, comunicação, avaliação, análise do risco e de planeamento.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 17/11/2019 17:29:55

    Angolana Josefa Sacko distinguida na Bélgica

    Luanda - A Comissária para a Economia Rural e Agricultura da União Africana, Josefa Sacko, foi distinguida com o Prémio Reconhecimento, pelo Fórum Crans Montano, que teve lugar de 14 a 16 deste mês, em Bruxelas (Bélgica).

  • 17/11/2019 09:32:42

    Estradas sangrentas, vítimas lembram peripécias

    Luanda - Há 14 anos, Martinho da Cunha luta contra o passado, para apagar da mente a história do acidente brutal que quase "sentenciou" a sua vida.

  • 16/11/2019 21:37:15

    À beira da morte - Estradas continuam inseguras

    Luanda - As mortes por atropelamento nas estradas de Luanda, em particular na Avenida Deolinda Rodrigues, continuam a constituir sério problema para a sociedade.