Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

19 Abril de 2019 | 07h45 - Actualizado em 19 Abril de 2019 | 07h44

Guiné-Bissau: Angola apresenta experiência sobre educação ambiental

Bubaque - O secretário de Estado para o Ensino Técnico-Profissional do Ministério da Educação, Jesus Baptista, destacou quinta-feira, em Bubaque, Guiné-Bissau, as acções das autoridades angolanas no domínio da educação ambiental nas vertentes formal e não formal.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ao intervir na sessão final do V Congresso Internacional de Educação Ambiental dos países da Comunidades de Língua Oficial Portuguesa mais Galiza,  realizado durante cinco dias na capital do arquipelago de bijagos, referiu que no domínio formal desenvolvem-se actividades regulares que se conformam em políticas públicas.

Enumerou essas políticas, referindo-se ao programa de inserção de conteúdos de educação ambiental nos programas escolares das disciplinas do estudo do meio, ciências da natureza, geografia, entre outras, nos três niveis de ensino.

Referiu que a temática educação ambiental é abordada numa vertente tridimensional, nomeadamente, melhoria dos serviços comunitários, saneamento básico e comunidade e ambiente.

Alem disso, informou que Angola conta com várias escolas do ensino secundário tecnico-profissional que ministram cursos sobre ambiente, na vertente de gestão e tratamento de resíduos sólidos.

Ainda no ensino formal, ao nível  superior, informou o secretário de Estado que os cursos ligados as ciências também formam especialistas em vários domínios do ambiente.

Já na vertente não formal, disse que o Ministério do Ambiente realiza a educação ambiental junto das comunidades, enquanto o sector da comunicação social o faz por via de peças de teatro e spots radiofónicos e televisivos de sensibilização para a adopção de comportamentos positivos.

Jesus Baptista defendeu que a educação ambiental deve resultar aprendizagens tendentes a prevenir danos, na sequência de alterações climáticas.

Acrescentou que, enquanto membro da ONU, Angola tem vindo a acompanhar e implementar as medidas que concorrem para a preservação do ambiente.

Angola participou no evento com uma delegação integrada pelo embaixador de Angola na Guiné-Bissau, Daniel Rosa, técnicos dos ministerios da educação e do Ambiente, assim como da missão diplomática de Angola em Bissau.

Promovido pela RedeLuso, o evento congregou 416 delegados dos países membros da CPLP e Galiza, e decorreu sob o lema "Crise ecologica e migrações: leituras e respostas da educação ambiental".

A cerimónia de encerramento do congresso foi presidida pela secretária de Estado do Ambiente e Desenvolvimento Duravel, Quite Djata, em representação do Primeiro-ministro, Aristides Gomes.

Assuntos Conferência  

Leia também