Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

01 Junho de 2019 | 22h19 - Actualizado em 02 Junho de 2019 | 15h56

Ministro consternado pela morte de jornalista

Luanda - O ministro da Comunicação Social, João Melo, afirma, em mensagem de condolências, este sábado, que a morte do jornalista angolano Joseph Mputu N?Dongala deixa um vazio no jornalismo e na diplomacia.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Jornlista Joseph Mputo N'Dongala morreu esta sexta-feira em França

Foto: Angop/arquivo

O governante reagia com “profundo pesar” ao falecimento do jornalista angolano Joseph Mputu N’Dongala, ocorrido este sexta-feira, 31 de Maio, em França, por doença.

O profissional, cujo funeral será realizado em data a anunciar, foi quadro da ANGOP desde a década de 1980, onde desempenhou a função de responsável pelo Desk Desportivo.

Numa mensagem de condolências, João Melo endereça à família enlutada e ao colectivo de trabalhadores do Ministério das Relações Exteriores e da ANGOP, em seu nome pessoal e dos responsáveis e funcionários do Ministério da Comunicação Social, os mais profundos sentimentos de pesar.

Além da mensagem institucional, o ministro da Comunicação Social recorreu à sua conta na plataforma comunicacional Twitter, para expressar, pessoalmente, quão elevada é a sua admiração pelo malogrado Joseph Mputu.

“Estou desolado e com uma grande sensação de frustração. A morte do jornalista Joseph Mputu Ndongala doeu-me profundamente. Trabalhou comigo na ANGOP nos anos 80, onde foi um dos meus mais sinceros e dedicados colaboradores. Ficámos amigos até à sua morte. Era de facto um homem bom”, escreveu João Melo.

Nos últimos anos, o malogrado trabalhou em várias missões diplomáticas do país, nomeadamente nas embaixadas de Angola na Côte d’Ivoire, França e Cuba, enquanto responsável pelos serviços de imprensa.

Foi também conselheiro de imprensa da Embaixada de Angola na Suíça.

Assuntos Jornalismo   Óbito  

Leia também
  • 16/05/2019 21:29:06

    Morre jornalista angolano Paulo Pinha

    Luanda - Morreu, esta quinta-feira, em Lisboa, vítima de doença, o jornalista angolano Paulo Pinha, profissional da empresa Edições Novembro.

  • 14/05/2019 15:03:03

    À beira da crise, Cunene luta pela sobrevivência

    Ondjiva - Sem chuva, sem pasto e com risco iminente de crise humanitária. Há oito meses, o Cunene enfrenta a mais severa estiagem da sua história, que já deixou mais de oitocentas mil famílias e mais de um milhão de bovinos à beira da morte.

  • 04/05/2019 00:30:09

    Pouca abertura das fontes de informação preocupa jornalistas

    Huambo - A pouca abertura das fontes de informação, sobretudo públicas, está a preocupar os jornalistas da província do Huambo, que consideram tal situação um obstáculo à realização de um jornalismo mais plural, objectivo e transparente.