Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

19 Agosto de 2019 | 11h36 - Actualizado em 19 Agosto de 2019 | 11h55

Projecto de habitação social condicionado por questões financeiras

Huambo - As obras de construção de 40 casas sociais no bairro Quissala, arredores da cidade do Huambo, iniciadas em 2017, continuam paralisadas, por falta de divisas para importação de materiais de acabamento, apesar da grande procura que se verifica em relação às mesmas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

A confirmação é do  director-geral da empresa promotora do projecto (Habi-Terra S.A), David Castello, em declarações  à ANGOP, admitindo que o custo actual dos materiais no mercado nacional é incompatível às possibilidades da empresa sem fins lucrativos.

Disse que estas 40 casas fazem parte de um total de 307, do tipo T1 e T2, a serem construídas pela Habi-Terra, uma das subsidiárias da organização não-governamental Development Workshop (DW), que já construiu 157 habitações no mesmo bairro, desde 2012.

De acordo com David Castello, a pretensão da empresa era concluir as casas em meados do ano passado, para atender a demanda dos cidadãos com poucos rendimentos mas que alimentam o sonho da casa própria.

Anunciou que, depois de concluídas as 40 residências, a Habi-Terra vai construir outras 110, no mesmo local, sendo que os restantes lotes de terra serão comercializados a cidadãos interessados em erguer a sua própria casa.

“O nosso projecto tem como alvo atender pessoas de baixa renda e não o lucro. Logo, procuramos construir casas que possam ser acessíveis aos nossos clientes, optando por materiais mais baratos”, explicou.

O director-geral da Habi-Terra deu a conhecer que das 157 casas já construídas, 86 das quais habitadas, 35 são do tipo T2, que custam dois milhões e 100 mil kwanzas, e as restantes T1, vendidas ao preço de um milhão e 600 mil kwanzas.

Explicou que as casas, que ocupam uma área de 30 metros quadrados, são de carácter evolutivo, permitindo ao cliente ampliar, já que cada uma delas é rodeada por 243 metros quadrados de área desocupada.

Apesar de tratar-se de casas de baixo custo, David Castello informou que a empresa prima pela qualidade das mesmas, salientando que as vendas são feitas com recurso a crédito cedido pela Kixi-crédito, pronto pagamento ou por prestação não superior a 14 meses.

A Habi-Terra criou, no projecto, cinco pontos de abastecimento de água potável, através de manivelas manuais, estando em vias de montar, ainda este ano, um posto de transformação de energia eléctrica, para que os moradores deixem de recorrer a fontes alternativas.

O projecto habitacional foi criado pela  Development Workshop, em 2012, para suprir o défice habitacional das camadas menos favorecidas financeiramente, tendo em 2014 passado à tutela e gestão da Habitação, Terra e Construções S.A, mantendo o mesmo carácter social.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também
  • 19/08/2019 11:53:20

    Idosa de 110 anos assassinada sob a acusação de feitiçaria

    Huambo - Uma cidadã de 110 anos de idade, acusada de exercer prática de feitiçaria, foi assassinada, neste domingo, em plena via pública no sector da Chiwaia, comuna do Calima, município do Huambo, por dois dos seus vizinhos, já detidos pela Polícia Nacional, soube hoje, segunda-feira, a ANGOP.

  • 16/08/2019 21:11:53

    Tribunal da Caála condena cidadão a 23 anos por homicídio qualificado

    Caála - O Tribunal municipal da Caála, província do Huambo, condenou, nesta sexta-feira, o cidadão Celestino Samanjata, a 23 anos de prisão efectiva, por crime de homicídio voluntário qualificado, contra a sua esposa, cometido em 2012.

  • 15/08/2019 18:27:11

    Destacado papel das famílias na educação de jovens empreendedores

    Huambo - O director do Gabinete para o Desenvolvimento Económico e Integrado da província do Huambo, Júlio Tchimbilundo de Paiva, realçou hoje, quinta-feira, a necessidade das famílias incutirem, desde muito cedo, a visão empreendedora aos jovens, visando a criação, melhoria e gestão de pequenos negócios, para o fomento ao auto-emprego.