Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

19 Setembro de 2019 | 18h16 - Actualizado em 19 Setembro de 2019 | 18h15

CNJ defende auxílio às famílias para promoção da cultura de Paz

Luanda - O Conselho Nacional da Juventude (CNJ) manifestou, nesta quinta-feira, em Luanda, a necessidade de se alicerçar às famílias africanas, para se evitarem as acções que influenciam o surgimento de actos violentos e conflitos nas comunidades.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Tingão Mateus, Presidente da CNJ

Foto: António Escrivão

As declarações foram feitas pelo presidente da associação juvenil, João Tingão Mateus, à margem do Fórum de Ideia sobre a prevenção da violência e resolução de conflitos através da educação e cultura, no âmbito da Bienal de Luanda- Fórum Pan-Africano para a Cultura de Paz, enfatizando a importância da estrutura familiar na formação do carácter social do indivíduo.

Para o responsável, é necessário que os jovens desenvolvam acções que beneficiem positivamente a sociedade, tendo em conta os principais pilares que sustentam a democracia e a paz.

Disse ainda que para atingir essa pretensão, é importante que as famílias sejam munidas de instrumentos do fórum educacional e social para que possam promover a cultura de paz. 

A nível de Angola, João Tingão Mateus referiu que o CNJ tem realizado actividades do ponto de vista cultural e educacional, para que os jovens sejam participes activos na consolidação da paz e da democracia.

Durante a sessão, que cingiu-se nos reforços empreendido para enfrentar os desafios dos conflitos comunitários, a crise migratória e o combate ao fundamento religioso, os especialistas defenderam a promoção da educação dos jovens com agentes da paz, estabilidade e desenvolvimento.

Porém, levantou-se a necessidade de se promover o poder da criatividade cultural, como uma ferramenta indispensável para a aproximação entre indivíduos, povos e nações, no sentido de se construir uma paz sustentável no continente africano.

Para a directora moçambicana do Departamento de Alfabetização do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, Safira Mahanjane, é necessário que os jovens desenvolvam o espírito de empreendedorismo, identificando a nível das suas comunidades pequenos negócios que possam garantir a sustentabilidade das famílias. 

No contexto da violência e conflitos, a UNESCO a nível das suas prioridades globais, apoia os países africanos no fornecimento de conhecimento, habilidades aos actores locais, no sentido da implementação acções que promovam a cultura de paz.

O evento tripartido (Angola, União Africana e UNESCO), que decorrerá até ao dia 22 de Setembro, trata-se de uma plataformas de reflexão sobre o futuro de África, com abordagens focadas na educação, ciência, cultura ao serviço da cultura de paz em África, prevenção de conflitos e o papel da mídia na promoção da paz.  

Assuntos Angola  

Leia também
  • 19/09/2019 13:02:06

    Jovem apoia catadores de lixo

    Luanda - Para ajudar na preservação do meio ambiente e na redução do desemprego no país, particularmente em Luanda, foi lançado no mercado angolano o projecto Angolatas e Angobidões, numa iniciativa do empreendedor Miguel de Almeida.

  • 14/09/2019 09:14:13

    Resenha Social: Apresentação do plano de alfabetização marca semana

    Luanda - A apresentação, pelo Ministério da Educação (MED), ao público o Plano de Acção para a Intensificação da Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos EJA Angola marcou a semana que hoje, sábado, termina.

  • 13/09/2019 17:10:50

    Enfermeiros condenam atentados nos hospitais

    Luanda - A Ordem dos Enfermeiros de Angola (ORDENFA) repudiou, nesta sexta-feira, a ocorrência de atentados nas unidades sanitárias e advertiu as autoridades de direito para a necessidade de garantirem a segurança dos profissionais do sector nos seus locais de trabalho.