Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

23 Outubro de 2019 | 19h24 - Actualizado em 23 Outubro de 2019 | 19h24

Administração do Porto do Lobito destaca capacidade de isenção da ANGOP

Lobito - O administrador executivo para a Área de Recursos Humanos do Porto do Lobito, Domingos Isata, destacou hoje, quarta-feira, a capacidade de isenção e responsabilidade dos jornalistas da Agência Angola Press (ANGOP), como exemplo para o exercício do “bom jornalismo” no país.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Funcionários da delegação da Angop em Benguela e Administração do Porto do Lobito

Foto: Cedida

Falando durante um encontro com jornalistas e demais trabalhadores da Delegação Provincial da ANGOP em Benguela, que visitaram o Porto do Lobito, no âmbito das actividades do quadragésimo quarto aniversário da empresa, a assinalar-se a 30 de Outubro, Domingos  Isata fez questão de referir o respeito pela ética e deontologia profissional evidenciada pelos jornalistas da única agência do país, no tratamento das notícias.

“Temos assistido alguma imprensa que, às vezes, cai no sensacionalismo e na falta de isenção, nomeadamente o não cruzamento de fontes, na ânsia de noticiar sobretudo aquilo que vende mais, sem procurar ouvir o contrário”, observou o também académico, e acrescenta: “Temos assistido por parte da ANGOP uma responsabilização muito grande dos seus quadros”.

Para Domingos Isata, a maturidade e idoneidade são valores que distinguem os profissionais da agência angolana de notícias, ao contrário de certos órgãos de informação que publicam muitas notícias sensacionalistas, principalmente baseadas em críticas ou acusações, sem procurar ouvir a outra parte.

O também mestre em Direito Jurídico-Civilístico pela Universidade Lusíada de Lisboa encorajou os quadros da ANGOP a continuarem a realizar esta “empreitada” com o mesmo espírito de prontidão, porque o exercício da actividade de informar está plasmado na Constituição da República.

Na ocasião, foi visionado um vídeo que ilustra os resultados do projecto de modernização da infra-estrutura portuária, iniciado em 2008 e que compreende cinco fases, para atingir a excelência.

Os trabalhos, executados até 2012, consistiram na construção de um moderno terminal de Contentores, Porto Seco e Porto Mineiro, a ampliação do cais para a acostagem de navios porta-contentores de quarta geração, e a edificação de uma nova ponte sobre o mangal para desviar o trânsito pesado do centro da cidade.

A quarta e quinta etapas prevêem a construção de um Terminal de Contentores para minérios e a criação de um Cais de acostagem de 1.200 metros de comprimento, incluindo  uma ancoragem para navios cruzeiros de luxo e um Clube de Yates.

Depois da conclusão das cinco etapas do projecto a ser desenvolvido na baía do Porto do Lobito, o comprimento total da área de acostagem será de 7,8 quilómetros em que poderão atracar em simultâneo 20 navios de longo curso, bem como o manuseamento de 11 milhões de toneladas de carga geral e 700.000 TEUs/ano.

Em 1973, antes da independência, o Porto do Lobito atingiu  o pico em termos de carga movimentada, com mais de três milhões de toneladas, sobretudo de cereais, minério e pasta celulose, das quais 50 porcento em trânsito.

O ano de maior movimentação de mercadorias, depois da independência, foi o de 2013, quando foram movimentados dois milhões, 984 mil e 220 toneladas.

Além da visita à empresa portuária do Lobito, os profissionais da Delegação Provincial da Angop em Benguela irão, no próximo sábado, realizar um almoço solidário a favor de pessoas com deficiência física acolhidas pelo Lar “Anjo da Guarda”, instituição sob responsabilidade da Igreja Católica, na comuna do Luongo, município da Catumbela.

Autor do livro “Arrendamento Urbano em Angola – Denúncia do Arrendamento”, chancela da editora “A Casa do Zouk de Angola”, e prefaciado por Pinto Furtado, docente da Universidade Lusíada de Lisboa, Domingos Inocêncio de Jesus Camilo da Silva Isata é, além de administrador do Porto do Lobito, jornalista, advogado e docente universitário.

Leia também
  • 23/10/2019 19:11:40

    Campanha de registo beneficia mais de sete mil cidadãos em quatro dias

    Benguela - Sete mil e 75 cidadãos beneficiaram de diferentes actos de identificação civil e criminal nos primeiros quatro dias da Campanha de Massificação do Registo Civil, que decorre de 17 a 29 de Outubro, no município de Benguela, informou esta quarta-feira, a delegada provincial da Justiça e Direitos Humanos, Paula Marisa Correia.

  • 21/10/2019 10:07:40

    INEFOP lança mais de 700 jovens no mercado de trabalho

    Benguela - Setecentos e oitenta e cinco jovens foram enquadrados em diversos postos de trabalho, maioritariamente no sector do comércio (lojas), no decurso do I semestre de 2019, contra 382 empregados nos últimos seis meses de 2018.

  • 19/10/2019 14:49:28

    Aumento da produção agrícola pode tirar 70 ex-militares da pobreza no Biópio

    Catumbela - Setenta ex-militares da Cooperativa Agro-pecuária da comuna do Biópio, 55 quilómetros a nordeste do município da Catumbela, província de Benguela, começaram a receber insumos agrícolas para impulsionar a produção de alimentos e criação de gado, a fim de sair da pobreza extrema.