Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

20 Janeiro de 2020 | 16h13 - Actualizado em 20 Janeiro de 2020 | 16h18

INEFOP alarga leque de formação técnico-profissional no Huambo

Huambo - Cinco novos cursos técnico-profissionais: maquilhagem, cabeleireiro, decoração, cozinha e Auto-Cad (programa de software de Desenho Assistido por Computador em 2D e 3D), foram colocados à disposição dos jovens da província do Huambo pelo Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP), com objectivo de fomentar o auto-emprego.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Directora do INEFOP no Huambo, Domingas Mundombe

Foto: Júlio Vilinga

Em declarações hoje, segunda-feira, à ANGOP, responsável local da instituição, Domingas de Lourdes Mundombe, informou que, neste momento, decorrem as inscrições, com uma previsão de formar, nestes cinco novos cursos, 240 jovens até Dezembro deste ano.

Para o efeito, referiu, foram seleccionados quatro cursos técnico-profissionais com a duração de três meses, com destaque para o de decoração feito com material reciclado e outros que não exigem custos, não obstante a criatividade para fazer um bom cenário com maior rendimento, tendo em conta a necessidade de pequenos negócios.

Domingas de Lourdes Mundombe informou que a inclusão dos novos cursos deveu-se à procura, por parte dos jovens durante o ano de 2019, daí a razão de se ter criado as condições técnicas e humanas para o efeito, de modo a juntar-se aos esforços do Governo no combate ao desemprego.

No total, a responsável avançou que a instituição pretende formar, este ano, mil e 500 jovens nos cursos tradicionais: canalização, electricidade baixa, serralharia, carpintaria, informática, gestão empresarial, mecânica-auto, culinária, bate-chapa, corte e costura, contabilidade, fiscalidade e auditoria, francês, inglês e empreendedorismo, este último com o slogan “o sucesso ao seu lado”.

Com duração três a oito meses, as formações contam com 40 professores, distribuídos nos pavilhões de artes e ofícios dos municípios da Caála, Chicala-Cholohanga e Mungo e do Huambo.

O INEFOP contra igualmente na província do Huambo com os centros de formação profissionais públicos: Fadário Muteka, afecto ao ministério da Indústria e o CEFOPROF, do ministério das Obras Públicas, dos Correios de Angola e Miete Marcelino, este último paralisado e pertencente ao Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade de Género.

Além destes, contam também com 45 centros de formação técnico-profissionais privados, destes apenas 20 funcionam em pleno.

Vivem na província do Huambo, com uma extensão de 35.771 quilómetros quadros, dois milhões, 519 mil e 309 habitantes, distribuídos em 11 municípios, que fazem, na sua maioria, da agricultura a principal fonte de sustento.

Assuntos Província » Huambo  

Leia também
  • 18/01/2020 18:19:26

    Explosão de engenho causa ferimentos graves a uma criança

    Huambo - Um menor, de aparentemente 10 anos de idade, ficou gravemente ferido este sábado, na cidade do Huambo, devido a explosão de um engenho numa das lixeiras próximas ao super-mercado Kero, no bairro de São João.

  • 17/01/2020 18:27:24

    CPJ junta-se aos esforços de moralização da sociedade

    Huambo - O escritor e poeta João Lara Macuva Hotalala, da Brigada Jovem de Literatura de Angola, foi reeleito, esta sexta-feira, para um segundo mandato de três anos na direcção do Conselho Provincial da Juventude (CPJ), durante o qual defende uma maior aposta nos esforços de moralização da sociedade.

  • 17/01/2020 11:48:34

    Jovem de 23 anos de idade morta por questões passionais

    Huambo - Uma jovem, identificada por Flora Nawendo Savita, de 23 anos de idade, foi espancada até à morte esta semana, no interior da residência em que vivia no bairro da Calomanda, arredores da cidade do Huambo, por dois cidadãos, que no momento da detenção alegaram questões passionais.